sexta-feira, 19 de maio de 2017

Meio Ambiente: Água Preta terá área com limitações de uso para a conservação dos guaribas

A proteção aos últimos exemplares dos macacos guaribas-de-mão-ruivas (Alouatta belzebul) que ocorrem nos remanescentes de Mata Atlântica do município de Água Preta, Zona da Mata Sul de Pernambuco, ganhou um importante reforço com assinatura do Decreto nº 44.444 pelo Governador Paulo Câmara. O documento estabelece limitações administrativas provisórias para proteger a área de ocorrência dos animais. Publicado no último dia  17 de maio, no Diário Oficial, é parte do esforço da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, e do grupo de trabalho (GT) Guariba formado por membros do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema/PE), responsável pela elaboração e aprovação, na 88ª reunião ordinária do Conselho, realizada em abril, do plano de ação emergencial para a proteção da espécie.

Para planejar e reforçar as ações de fiscalização e de monitoramento da área estabelecida pelo decreto, onde vivem cerca de 14 exemplares da espécie Alouatta, o   secretário Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade Sérgio Xavier e o secretário-executivo da pasta, Carlos Cavalcanti se reuniram ontem (16/05), na sede da Semas,  com o atual comandante da Companhia de Policia de Meio Ambiente (Cipoma), Wolney Pereira, para traçar ações específicas de monitoramento.

De acordo com Sérgio Xavier, da Semas, “a proteção da área de ocorrência prevista na Lei do Sistema Nacional de Unidades de Conservação  da Natureza – SNUC é de fundamental   importância até que a Semas e a CPRH, com o apoio da academia, realizem os levantamentos técnicos e científicos sobre o primata e o seu habitat, que fundamentem a criação de uma unidade de conservação”, defendeu o secretário.

Plano de Ação Emergencial - O documento contendo metas e ações voltadas para a fiscalização, combate ao desmatamento e à caça, além de atividades de educação ambiental, restauração florestal e pesquisas científicas, foi elaborado pelo GT Guariba, criado em novembro de 2016 pela Resolução nº 05/2016 do Consema/PE. O objetivo é proteger os últimos indivíduos de guaribas identificados pela pesquisadora Julianne Moura, na dissertação de mestrado realizada em 2015 no remanescente florestal do Engenho Sacramento, com orientação de Bruna Bezerra, da UFPE e co-orientação de Maria Adélia Oliveira, da Universidade Federal Rural de Pernambuco. A área recebe constante pressão por conta da expansão da agricultura (cana-de-açúcar e policultura), além de registro de caça e de frequentes queimadas. 

A grave ameaça que vem sofrendo a espécie Aloutta belzebul, considerada vulnerável à extinção pela Lista Nacional da Fauna Ameaçada do Ministério do Meio Ambiente (Portaria nº 444/2014), justifica as ações desenvolvidas em Pernambuco. Para coordenadora do GT do Consema, Alessandra Sá, “o grupo realiza reuniões de monitoramento e ações de educação ambiental e capacitação com os atores locais, sendo a mais recente delas a de manejo do fogo para combate aos incêndios, realizada em abril para 15 assentamentos rurais de Água Preta, com o apoio do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo), do Ibama /PE e da prefeitura municipal”, ressaltou.

Fonte: http://www.pe.gov.br/blog/