III BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DO AGRESTE

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

FOLCLORE POLÍTICO: JARBAS POR ERASMO

Centro de Glória de Goitá, no Agreste Setentrional. Setembro de 1990. A campanha para governador de Pernambuco é o assunto do dia na cidade, que assiste ao lançamento da candidatura do filho ilustre, Djalma Paes, a deputado estadual pelo PMDB, que promove naquele dia comício festivo com a presença de Jarbas Vasconcelos, candidato a governador.

A cidade está coberta por cartazes com a foto de Jarbas. A entrada do candidato majoritário no município é triunfal. Uma eleitora anônima passa a acompanhar Jarbas de perto. Toca várias vezes em Jarbas e Miguel Arraes, mas não desgruda do candidato a governador. Ansiosa, pergunta à jornalista Sônia Lopes, assessora da campanha, "que hora ele vai cantar?"

Com sua calma característica, Sônia explica à mulher:

- Minha senhora, ele não é cantor - diz, referindo-se a  Jarbas.

- É sim! Ele já cantou muito no Chacrinha. Eu me lembro - insiste.

- A senhora deve estar confundindo Jarbas Vasconcelos com algum cantor famoso...

- Quer me enganar, é? - Irrita-se a mulher.

Aí a jornalista não aguenta de curiosidade e pergunta:

- E como é o nome dele?

- Erasmo Carlos.

Até hoje, Jarbas ri com essa história de cover do parceiro de Roberto Carlos.

Fonte: Livro "Do Chinês no Palanque ao Pequinês das Princesas" de Carlos Cavalcante e Jaques Cerqueira. Editora Comunicarte - Recife 1994.