III BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DO AGRESTE

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Memórias de Garanhuns (40): Cel. Argemiro Tavares de Miranda

Bico de Pena - Artista Plástico
 Espedito Dias.
Por Cláudio Gonçalves de Lima

     
Argemiro Tavares de Miranda nasceu em 1869, era casado com Mirandolina Souto de Miranda, eram seus filhos: Arnaldo, Argemiro e Theotônio. Argemiro Tavares de Miranda, se destacou na sociedade garanhuense no jornalismo e na pintura, ensinando ao sobrinho e futuro escritor Luís Jardim os primeiros traços da arte de desenhar. 

Argemiro Miranda foi eleito prefeito de Garanhuns em 22 de março de 1911, após haver uma nova eleição para preenchimento do cargo do executivo, em virtude, da renuncia do prefeito Antônio Isaac de Macedo. Devido a perseguições políticas e restrições financeiras impostas pelo governador General Dantas Barreto, o Tenente-Coronel Argemiro Miranda renuncia ao cargo em fevereiro de 1912.

Apesar do curto período do seu governo, Argemiro Miranda fez uma profícua administração. A iluminação pública foi restaurada com a substituição do carboreto por lâmpadas a álcool e com novos postes. Limpou a cidade do mato que crescia nas ruas e fez aplainamento das mesmas, aterrando os fossos causados pela erosão pluvial. Deu início ao alargamento das calçadas  e o seu nivelamento, padronizando também as larguras por dois ou três metros, conforme as ruas.

A Família Miranda eram oriundos de Panelas dos Mirandas, sendo os pai de Argemiro, o senhor Theotônio Miranda e D. Mira Miranda.
Fonte: História de Garanhuns - Alfredo Leite Cavalcanti e pesquisa realizada pelo professor Cláudio Gonçalves.