III BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DO AGRESTE

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Memórias de Canhotinho-PE (70): Advogado, jornalista, historiador e político José Antônio da Costa Porto

José Antônio da Costa Porto.

Nasceu em Canhotinho, no dia   13 de junho de 1909;   filho do Capitão José Vitorino da         Costa Gomes (Cazeca)     e de Idalina      Rodrigues Porto.

Foi um advogado, jornalista, historiador e político brasileiro.

Formação: Teologia e Direito Canônico - Seminário de Olinda; Ciências Jurídicas e Sociais – Faculdade de Direito do Recife.

Atividades docentes: História da Filosofia e da Literatura; Direito Administrativo; Direito Romano; Teoria Geral do Estado.

Cargos públicos: Promotor Público de Pernambuco; Diretor do Departamento de Assistência ao Cooperativismo de Pernambuco; Presidente do Banco do Nordeste do Brasil; Presidente do Banco de Desenvolvimento do Estado de Pernambuco – BANDEPE; Assessor da Associação Comercial de Pernambuco; Membro do Conselho técnico do Instituto Brasileiro de Reforma Agrária – IBRA; Procurador geral do Instituto Brasileiro do Café – IBC; Oficial de gabinete da Secretaria de Agricultura de Pernambuco; Secretário da Prefeitura do Recife; Diretor do Departamento de Assistência às Cooperativas do Estado de Pernambuco.

Atividades como jornalista: Redator do Jornal do Commercio; Redator do Jornal Pequeno; Redator da Folha da Manhã; Redator chefe e Diretor do Diario de Pernambuco; Diretor da TV Universitário, da UFPE.

Atividades literárias: Membro da Academia Pernambucana de Letras (Cadeira 5, eleito em 1954); Membro do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano.

Livros publicados: O açúcar num documento colonial; Duarte Coelho; Estudo sobre o sistema sesmarial; Formação territorial do Brasil; Marquês de Olinda e seu tempo; O pastoreio na formação do Nordeste; Pequena história da Restauração Pernambucana; Pinheiro Machado e seu tempo; O sistema sesmarial no Brasil; Os tempos de Barbosa Lima; Os tempos de Dantas Barreto; Os tempos de Duarte Coelho; Os tempos de Lima Cavalcanti; Os tempos da Praieira; Os tempos de Rosa e Silva; Os tempos da República Velha; Nos tempos do visitador; CANHOTINHO-Notas sobre suas Origens e Evolução Política.

Atividades políticas: Deputado Federal por Pernambuco – 1946-1950; Constituinte de 1946; Ministro da Agricultura no governo Café Filho, de 31 de agosto de 1954 a  de maio de 1955. Na Assembleia Constituinte, apresentou uma emenda, dando aos Estados o direito de legislar supletivamente sobre o cooperativismo, e defendeu a denominação de Língua Portuguesa ao idioma falado no Brasil.

No Governo de Paulo Guerra, em Pernambuco (1964 a 1967), foi presidente do Banco do Desenvolvimento do Estado e assessor da Associação Comercial de Pernambuco. Na sequência, fez parte do Conselho Técnico do Instituto Brasileiro de Reforma Agrária (IBRA). Residiu em Brasília, onde foi procurador geral do Instituto Brasileiro do Café (IBC).

Faleceu em 03 de dezembro de 1984, aos 75 anos, de enfisema pulmonar, em sua residência, no bairro da Casa Amarela, no Recife.

Fonte: http://canhotinho-pe.blogspot.com.br/2009/06/filhos-ilustres.html