Wednesday, November 9, 2016

PROFESSOR UZZAE CANUTO: VIAGEM ICONOGRÁFICA AO PASSADO DE GARANHUNS


por Mauro Ricardo Ferreira

Professor Uzzae Canuto nasceu no dia 02 de Novembro de 1905, na cidade de Canhotinho, interior de Pernambuco. Ele era filho de Manoel Canuto e Josefa Canuto.

Teve uma infância difícil em vista dos parcos recursos da família, porém foi um garoto muito vivo e criativo, que o fazia aproveitar, como poucos, das brincadeiras próprias da época. Entre elas tornou-se um exímio jogador de pião o qual dominava como ninguém e o fazia rodar no sentido inverso, pois era canhoto. Escrevia com a mão direita, mas as demais coisas as realizava com a mão esquerda.

Créditos da foto: Rosilda Cavalcanti.

Aprendeu a ler com 17 anos de idade e para sobreviver chegou a trabalhar como malabarista e equilibrista em um circo. Isso o fez ter habilidades manuais que impressionava a todos, até quando já de idade avançada. Não era incomum vê-lo na feira fazendo malabarismo com laranjas, ovos e garrafas para admiração de todos. Trabalhou também como fazedor de malas em Caruaru.

Com 20 anos fez o admissão e posteriormente foi estudar no Colégio XV de Novembro em Garanhuns/PE. Neste educandário foi um atleta admirado, pois se destacou no salto em extensão e altura. Foi também goleiro na equipe de futebol. 
Estudou no Seminário Presbiteriano do Norte, em Recife, onde formou-se pastor protestante presbiteriano. Era um profundo admirador do grande orador, mestre e pastor Jerônimo Gueiros a quem procurava, na sua juventude, imitar na sua oratória e poder de argumentação.

Neste período, no Seminário, trabalhou em várias igrejas, fundou congregações e já se destacava como pregador de grande eloquência. Ao findar o Seminário fez seu curso de Filosofia e voltou para lecionar no Colégio XV de Novembro. Ensinou latim, matemática, português, história, geografia e trabalhos manuais. 

Quem foi aluno de Uzzae Canuto não o esquece. Seus alunos lembram-se de suas exigências, austeridade, mas também de suas brincadeiras. 

Gostava de impressionar os alunos no primeiro dia de aula dizendo: “Tenho três coisas para dizer para vocês: “primeiro: se me encontrarem na rua, por favor não me cumprimentem; segundo: se eu adoecer, por favor não me visitem; e terceiro: (a esta altura, os alunos já estavam surpresos e amedrontados) está todo mundo passado, se quiserem sair da sala é um favor que me fazem”. Mas, quando encontrava os alunos na rua era o primeiro a tomar iniciativa de cumprimentá-los. 
Sua vida social foi marcada por suas atividades na política como vereador, presidente da câmara dos vereadores, secretário do prefeito Aloísio Pinto, presidente do Rotary, membro da Academia Garanhuense de Letras. Lecionou em vários colégios da cidade como o Colégio Estadual Prof. Jerônimo Gueiros, Colégio Municipal Pe. Agobar Valença, e a Faculdade de Formação de Professores, foi também diretor do internato masculino do Colégio XV de Novembro.

Foi poeta e Jornalista. Escreveu para o Norte Evangélico, períodico presbiteriano fundado pelo Pastor Jerônimo Gueiros. O Dicionário de pseudônimos de Jornalistas Pernambucanos nos informa que ela assinava seus trabalhos com o pseudônimo de UCA. 

Sua inteligência invejável, espírito criativo, irrequieto, crítico, o fizeram desenvolver uma capacidade mental dirigida para a reflexão, pensamento filosófico, que aliados à sua dramaticidade o transformaram num grande orador.

Uzzae gostava muito de flores. Na sua residência havia um lindo jardim, cuidado por ele mesmo. Gostava de mostrar as flores aos visitantes. 

Uzzae tinha um comportamento excêntrico. Era fácil encontrá-lo falando sozinho e quando surpreendido parecia não se importar e continuava a conversar com seus botões. Muitas vezes, passeava pela cidade de carona nos carros de boi, e, quando via os garotos jogando pião na rua, logo entrava na brincadeira e os meninos ficavam encantados com a habilidade que o professor tinha com o brinquedo. 

Como pastor, foi itinerante, dando assistência a várias igrejas das regiões circunvizinhas de Garanhuns, como Neves, Fama, Catonho, Inhumas, Cachoeira Dantas etc. 

Ao lado de Israel Furtado Gueiros, Prof. Ageu Vieira, Francisco Gueiros e Antônio Carvalho participou do movimento fundamentalista presbiteriano em pernambuco. 

A convite do pastor João Tenório de Moura de quem era muito amigo, sempre pregava na Igreja Batista Bíblica de Garanhuns, denominação que é um ramo fundamentalista da Igreja Batista tradicional. 

Apesar de inserido no movimento fundamentalista presbiteriano, a amizade de Uzzae com o Bispo de Garanhuns , D. Adelino Dantas lhe rendeu a fama de ecumenista. 

"Porém, houve também a integração entre líderes de sistemas religiosos antagônicos, se não no tocante as religiões, mas por injunção de afinidades e amizades. E é bem verdade que o Nordeste não conviveu somente com o clima de tensão que sugeria o confronto entre católicos e protestantes, mas até com a boa convivência dos contrários. Muitos exemplos surgem a cada dia, sendo identificadas até células ecumênicas em algumas regiões. Foi o caso da amizade que uniu D. José Adelino Dantas, seridoense da “Luíza” (hoje São Vicente) que, quando Bispo Diocesano de Garanhuns – PE, ao pastor protestante professor Uzzae – dois pastores de religiões “antagônicas” a disseminarem a fé em rebanho comum e em solo único." http://seridoinsurgente.blogspot.com/.

Sua esposa chamava-se Zilda. Zilda era paciente, meiga, fiel e conselheira. Suportava seu temperamento irrequieto, crítico, excêntrico. O casal teve dois filhos: Emília e Manoel.

Sobre Uzzae, assim se expressa Alberto da Silva Rêgo: "Em toda comunidade sempre surgem pessoas que conseguem se tornar simpáticas, no meio social, independentemente do credo político, religioso ou esportivo. Trazem dentro de si, o espírito jovial, discutem sem exasperação. Faz parte do se comportamento moral o saber se conduzir na sociedade, além de procurar dar a sua contribuição em serviços, ao povo de sua terra. Uzzae é um destes. Múltiplo em suas atividades..." 

Uzzae faleceu em 04 de novembro de 1995, aos 90 anos. No momento, aguardava seu filho Manuel Canuto para ditar algumas palavras de agradecimento que deveriam ser lidas durante o aniversário do Colégio XV de Novembro.

BIBLIOGRAFIA: CANUTO, Sales Manoel: Uzzae Canuto “O Pião Do Paulinho Tombou...” Novembro de 1995. DICIONÁRIO DE PSEUDÔNIMOS DE JORNALISTAS PERNAMBUCANOS, Luiz do Nascimento [Recife: UFPE, Ed.Universitária, 1983].Índice de pseudônimos elaborado por Maria Falcão Soares da Cunha, com a orientação de Lúcia Gaspar, Bibliotecária da Fundação Joaquim 
http://ipfb.blogspot.com/…/fundamentalismo-em-pernambuco.ht…
http://seridoinsurgente.blogspot.com/: A Religiosidade no Sertão Antigo REGO, Alberto da Silva- Os Aldeões de Garanhuns- Coleção Tempo Municipal Recife, 1987.

Empresa amiga da Cultura.



No comments:

Post a Comment