Thursday, November 24, 2016

NOSSAS FAMÍLIAS: O IMPÉRIO SEM IMPERADOR DA GRANDE FAMÍLIA MOCHILEIRA DE PERNAMBUCO

NOTA IMPORTANTE: Hoje nosso blog inicia uma séria de  postagens sobre nossas famílias. As raízes do nosso povo, suas origens, hábitos e costumes culturais. Iniciamos hoje com uma matéria especial do nosso saudoso Mochileiro "Ulisses Pinto", que fala sobre este grande Império sem Imperador que é a família Mochileira, e que é composta por 38 grupo de  famílias deste agreste pernambucano.

Jornalista Ulisses Peixoto Pinto.
Mochileiro,  de Saudosa
 Memória.
Por Ulisses Pinto

Voltando ao passado em termos da genealogia, gostaria de dizer mais uma vez qual o significado da palavra “Mochileira” e para isto conto com a palavra do historiador Alfredo Leite Cavalcanti, de saudosa memória, através do seu livro "História de Garanhuns", quase toda feita baseada em documentos de cartórios não só em Garanhuns, porém de outros.

“Foram os quatros patriarcas o português Manoel da Cruz Vilela, que vivendo aqui em 1703, anos depois se casou com dona Maria Pereira Gonçalves; Manoel Ferreira de Azevedo, aqui chegado em 1707, casado com dona Simôa Gomes; Micael de Amorim Souto, casado com dona Maria Páis Cabral aqui residente em 1708; e o português Antônio Vaz da Costa, casado com dona Luiza Santos Soares, aqui já residentes em 1716, ele filho do casal português Antônio Vaz da Costa – Luiza Vaz da Costa.

A denominação Mochileira, dada à principal família garanhuense desde o começo da sua formação, provém do fato de haver o Capitão Micael de Amorim  Souto, em sociedade com o Capitão Pedro Rodrigues de Pontes, em 6 de outubro de 1717, comprado a Lopo Gomes de Abreu, o sítio Saco, denominado a sua parte de Mochila” e assim distinguir da outra parte do terreno.

Em 04 de agosto de 2003, o Economista Rubens Vaz da Costa recebeu a medalha Luiz Souto Dourado, outorgada pela Câmara Municipal de Garanhuns. Foto retratando três Mochileiros juntos, ficando a esquerda do homenageado
 o vice-prefeito na época,  Dr. Márcio Quirino, e a direita o então Presidente da Academia de Letras de Garanhuns e autor do Hino de
Garanhuns, João Marques dos Santos.
Foto: Jornal "O Século".

"Estes mochileiros, são ligados por laços familiares desde a fundação de Garanhuns, pela mameluca Simôa Gomes de Azevedo. Os Mochileiros são compostos de 38 grupos familiares deste agreste pernambucano.

Eis ai o Império sem imperador da grande família mochileira: 

Azevedos,
Soutos,
Vaz da Costa, 
Gueiros, 
Brancos, 
Jardins, 
Ferreiras, 
Rodrigues, 
Herculanos, 
Neves, 
Dantas, 
Vilelas, 
Burgos, 
Moraes, 
Rocha, 
Godois, 
Carvalhos, 
Machados, 
Teles, 
Furtados, 
Vanderleis, 
Cesários, 
Vandeiras, 
Correias, 
Dias, 
Maltas, 
Barbosas, 
Araújos, 
Pais, 
Pais de Liras, 
Noronhas, 
Macedos, 
Melos, 
Medeiros, 
Barros, 
Teixeiras, 
Batistas e Barretos.

No comments:

Post a Comment