domingo, 5 de junho de 2016

A CULTURA POPULAR DE PERNAMBUCO PERDE O MESTRE "PRETO LIMÃO"

Tomaz Leão Cavalcante - "Galo Preto" e Emílio Leão Cavalcante "Preto Limão"


Emílio Leão Cavalcante. Natural de Bom Conselho, filho de João Leão Tenório Cavalcante e de Celestina Leão Cavalcante. Teve quatro filhos: Irene Maria, Ivete Maria, Maria Leão e José Emílio Cavalcante e muitos netos.




Em sua residência, na Rua da Liberdade, Preto Limão, era uma pessoa querida por todos, guardava consigo um mundo de curiosidades que fazem partem da vida de Garanhuns.

                        


Sua família foi agraciada, orgulhava-se ele, com o dom artístico da música, isto é, da embolada, mais precisamente. É irmão de Tomaz Leão Cavalcante, o famoso "Galo Preto".

Outros irmãos seus, também famosos emboladores, são Elói, Curió e Luis, este o mais velho já falecido.

Preto Limão é um patrimônio histórico de Garanhuns. Mais de 60 anos de atividades no ritmo da embolada e, ainda sessentão na Umbanda, é, como poucos, muito certeiro em suas previsões.

Na embolada, é mestre imbatível nos gêneros "Simbolada Coco do Norte", "Embolada", Sistema Pagode de Elogio", "Coco de Pisada" e "Samba de Roda". Em 1949, no Recife, como embolador em desafio, ganhou para Evaristo de Oliveira, Cego Galdino, Tirateima, Zé Muvuca entre outros nomes famosos.

Também, em desafio, cantou com Chico Zeferino, Antônio dos Algodões, Olívio de Constantino, de Alagoas em jornadas memoráveis.

"Nunca perdi pra ninguém diz Preto Limão expressando um ligeiro sorriso. Tenho muito zelo pelo que faço a agradeço a Deus por ter me ajudado sempre".

Na política como embolador, participou das campanhas políticas de vários candidatos de renome: Getúlio Vargas, Juscelino, Cid Sampaio, Barros de Carvalho(deputado), Etelvino Lins, Roberto Magalhães e Miguel Arraes.

"Tive o privilégio de acompanhar cantores famosos como Luiz Gonzaga e Zé Gonzaga".

Em suma, Preto Limão foi, sobretudo, uma pessoa nobre, de uma grandeza espiritual e que Garanhuns já o tem como um dos seus filhos amados.

Preto Limão viveu em Garanhuns desde os seus 18 anos de idade e se encontrava internado há uma semana no Hospital Regional Dom Moura, vitima de um AVC. Após muita luta, morreu na manhã de ontem, 04 de junho de 2016. A cultura pernambucana fica de luto por partir pra eternidade a representação máxima da arte do coco. Faleceu aos 92 anos.
Fonte: Jornal "O Monitor".

Nenhum comentário:

Postar um comentário