sexta-feira, 27 de maio de 2016

CENTENÁRIO DA HECATOMBE DE GARANHUNS - PERSONAGENS DA HECATOMBE: LUIZ GONZAGA JARDIM

Desenho em Bico de Pena do Artista
Plástico Espedito Dias.
Por Cláudio Gonçalves de Lima

O jovem Luiz Gonzaga Jardim nasceu em Garanhuns em 1899, era o terceiro filho do casal Luiz Afonso de Oliveira Jardim, juiz de Direito da Comarca de Garanhuns e Secunda Ferraz Jardim, eram seus irmãos Solon e José Jardim, ambos oficiais que serviram a Volante.

Após a morte dos pais, Gonzaga Jardim ficou sobre os cuidados do seu tio Manoel Antônio de Azevedo Jardim, sendo tratado como um verdadeiro filho. O jovem era um rapaz polido, alegre e devotado aos estudos. Em janeiro de 1917 estava em Garanhuns de férias escolares do Colégio Salesiano do Recife. Durante esse período aproveitou para matar saudade dos familiares e amigos. No dia 15 de janeiro, dia que chegou a notícia do assassinato do Coronel Júlio Brasileiro no Café Chile em Recife, estava o jovem na casa do tio Manoel Jardim quando a casa foi atacada por partidários do Julismo e foi um dos membros da família Jardim que relutou para que o seu tio Manoel Jardim não se recolhesse a cadeia, devido as ameaças hostis que se escutavam pelas ruas de uma vingança aquela família. 

Momentos antes do ataque fatal a cadeia, Gonzaga Jardim fora visitar os tios Manoel Jardim, Francisco Veloso, Argemiro Miranda e Júlio Miranda, infelizmente quando confortava seus parentes foi apanhado de surpresa com o cerco a cadeia e posteriormente a invasão do quarto da Guarda Nacional, sem chances para empreender uma fuga assim como todos que estavam ali indefesos, não lhe foi poupada a vida pelos facínoras. O seu primo e escritor Luiz Jardim escreveria anos depois um livro intitulado As Confissões do Meu Tio Gonzaga. 
Fonte: Anatomia de uma Tragédia - A Hecatombe de Garanhuns - Mario Marcio de Almeida Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário