quarta-feira, 23 de março de 2016

INSTALAÇÃO DO SANATÓRIO DR. TAVARES CORREIA EM GARANHUNS


O Sanatório Dr. Tavares Correia foi instalado em 18 de maio de 1929, como iniciativa de seu fundador e proprietário - Dr. José Alves Tavares Correia.

O plano geral da construção obedeceu a rigorosos preceitos de técnica e permitiu um vasto e moderno edifício a ser ampliado, em caso de  de necessidade sem alterar o traçado geral, apenas com o prolongamento de seus raios. Está localizado no mais elegante e mais saudável bairro da cidade, a 850 metros de altitude ocupando o centro de uma ampla área com mais de 25.000 metros quadrados, entre jardins, parque, quadra tênis, e outros atrativos, que tornam o grande edifício o estabelecimento mais elegante e preferido da Cidade-Sanatório pelo turismo e por todos aqueles que procuram Garanhuns com o intuito de se fortalecer, graças ao clima privilegiado.

O Sanatório se compõe de 2 partes distintas: uma propriamente hospitalar para doentes de moléstias agudas e não contagiosas e para doentes de cirurgia; outra destinada a repouso, para convalescentes, ergastênicos, portadores de doenças da nutrição, etc.

A seção de repouso, que é completamente isolada doentes agudos e com serviço próprio, compõe do pavilhão Prof. Irineu Malagueta, com 17 quartos, todos recebendo luz direta, com água corrente e piso a taco de madeira e de 2 elegantes e confortabilíssimos apartamentos destinados a famílias de fino trato. Esta seção de repouso é grandemente preferido não só pela hospedagem condigna, que  se oferece em quartos escrupulosamente higienizados e confortáveis, dispondo a seção de 6 instalações sanitárias modernas, com paredes de azulejo e de serviço para banhos quentes, como ainda pela boa alimentação e pelo repouso que aqui encontram os hospedes.

A seção hospitalar propriamente dita se compõe do pavilhão Pais de Carvalho para pensionistas, com 10 quartos, de 2 enfermarias para indigentes e mantidas pelo Governo do Estado e dos Municípios de Garanhuns, Angelim, Canhotinho, Quipapá, São Bento, Águas Belas, Bom Conselho e Correntes. Compõe-se ainda, de uma moderníssima sala para operações de alta cirurgia, duas salas de curativos, laboratório, sala de esterilização, etc.

Entre as duas seções ficam as administrações, os refeitórios, copa, cozinha e um pavilhão destinado a dormitório de empregados, rouparia, almoxarifado, etc.

Para dar uma ideia dos relevantes serviços prestados pelo Sanatório Dr. Tavares Correia basta lembrar as seguintes cifras referentes ao serviço hospitalar a indigentes, que é obra do Governo Revolucionário de Pernambuco, nesta região, iniciado com 20 leitos-dia, numero escasso para a sua população, a que ele serve, porem significativo dos bons propósitos com que o Governo encara o problema da Assistência Social. Em 1932 foram feitas 43 operações de altas cirurgias e 176 de pequena cirurgia com um único óbito. Em 1933 se fizeram 81 e 180, respectivamente, de alta e pequena cirurgia, com 5 óbitos. Em 1934, 50 e 180, respectivamente, de alta e pequena cirurgias com 2 óbitos, apenas.

Estas cifras valem por uma afirmação, que eleva a medicina e a classe medica de Pernambuco e é um índice de progresso da medicina e da cirurgia moderna, implantada em pleno coração da terra sertaneja, conforme o definiu o notável Professor de Medicina, do Rio - Prof. Austregésilo, em visita que fez ao referido Sanatório.

Vale acentuar que o Governo, de acordo com o contrato com o Sanatório, tem direito a 20 leitos-dia para indigentes. Este número se vem elevando, porque e muito exíguo em relação às necessidades, sem que o Instituto Médico perceba qualquer remuneração e constituindo, assim, pesada oneração a economia do Estabelecimento. Em 1932 houve um excesso de 341 doentes-dia. Em 1933 o excesso atingiu o elevado numero de 1.038 doentes-dia. Em 1934 houve um excesso de 1.316 doentes-dia. Em 1935 houve 1.053 doentes-dia, além do contrato.

E a superlotação não se eleva mais porque a Diretória do Estabelecimento se  esforça para só atender aos estritamente necessitados, sendo elevado o número daqueles que procuram o Instituto e regressam, visto haver excesso de doentes. Também não poderia ser de modo diferente, considerando que circunscrição de Garanhuns tem 286.849 habitantes e dispõe apenas de 20 leitos, dando 19.342 indivíduos para cada leito. Enquanto isto, e para confronto, o Recife tem 400.000 habitantes e dispõe de 2.904 leitos ou sejam 137 indivíduos para cada leito hospitalar.
Fonte: Almanaque de Garanhuns de 1937.

Nenhum comentário:

Postar um comentário