segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

TIPOS POPULARES DE GARANHUNS

Plínio Gustavo ou simplesmente "Bode Cheiroso" de saudosa memória.
Faleceu aos 84 anos em um abrigo para idosos na cidade de Bom Conselho.
Foto: Ricardo Notaro.

Póla - Uma senhora que ficou famosa por ter levantado a saia diante do imponente palanque do comício político, na Aveinda Santo Antonio, nos idos da candidatura do Brigadeiro Eduardo Gomes à Presidência da República. Ficou famosa porque diziam que ela estava "desprevinida". Isto é sem calcinha.

Cherife - Um Senhor cheio de medalhas, talabarte, cinturão com fivela cromada, que circulava pelas ruas dos centro.

Zé Branco - As pessoas o abordavam e diziam: "Um papelzinho pra Zé Branco". Ele ficava danado de raiva.

João do Ovo - Era um freteiro, carregava frete e andava ligeiro zunindo, fazendo barulho como um caminhão. Inclusive "dava um freio" gritando esganiçado.

Jeitoso - Era um senhor que consertava guarda-chuva e sombrinha.

Catrevage - Um senhor que gritava muito pela rua, fazendo muito barulho.

Zé Pitanga - Era conhecido como catimbozeiro do Arraial.

O Mudo da Estação - Mesmo mudo era muito barulhento, procurando pegar as bagagens dos passageiros recém chegados nos trens.

Turrica - Era um conhecido carregador de fretes.

Borborema - Um motorista que ficou famoso, não se sabe porque.

Bode Cheiroso - Um senhor que não gostava de tomar banho.

Maria Bacharé - Um senhor que dava espetáculo na rua: os meninos gritavam; "Maria Bacharé... ré, ré, ré..." Ele respondia: "e à puta que pariu... riu, riu, riu".

Meu Loro - Era porteiro do Colégio Diocesano, ficava danado com o apelido. Padre Adelmar recomendava para não abusar com ele.

Jornaleiro - Era um senhor que tinha mãos mirradas e só um dedo em cada mão. Dava medo aos meninos. Entregava o Jornal "O Monitor" de porta em porta.

Horácio - Um senhor que encostava-se em um poste e resmungava: "Governador Zé de Souza, manda um caximbo pra Horácio".

José Catão - Era um bêbado inveterado, ficou conhecido pelas pelas "carraspanas nas ruas".

Beron - Um senhor que assustava as pessoas escondido atrás dos postes.

Terezinha Sete Saia - Uma senhora que andava rua acima rua abaixo, com um "monte de saias".

Doze Anos - Uma moça que foi ficando velha, mas que aparecendo em todas as festas de menina dizia, que tinha doze anos. Esta era enfeitadíssima , cheia de berloques, adereços. Quase um espantalho.

Joaquim Fôfo - Severino Pacote - Tenente Mandú - Barruada - Antonio de Nica - Seu Pôpo - Tanoeiro - Cazuzinha - Zé Flor - Nozinho - Caboré - Zé de Birro - Zezinho Calango - João Mocó - Zé Lalau - - Micula - Galo Cégo - Zé Casquete - Zé Dunga - Beto Boy - Mago - Zé da Vila - Bajoso - Mata o Galo - O mudo - Negão da Engenharia - Zé Boneca - Celé - Zé Musquito - Cibito - Zé da Gruta - Seu Silú - Mané Candidé - Goma Lavada - Mãe Tatá - Dona Filó - Dona Lia - Maria Trem - Zezé Peixeira - João Chuva - João Banana - Mala Véia - Pedro Fonfon - Zé Currá - Tonhô - Zé da Onça - João Fumaça - Lulito - Zé de Chica - Zé Tarugo - Zé Vigia - Zé de Amélia - Zé Neguinho - Ciço Buchada - Seu Bizunga - Mané Piorá - Zé Brogoió - João Lau - Mário Pezinho - Zé Galo - Antonio Pire - Briba - Jacaré - Maná - Pica-pau - João Pilão - Batedor - Boy - Caveirinha - Garapinha - Guarda Chuva - Barrão - Carro de Bingo - Mocó - Big-Lala - Burro Sujo - Chibáiba - Pamonha - Pescoço -Mané Besta Fera - Lula Bicão - Cara de Ferro - Placam - Pantera - Zé Tonhé -Zé Miúdo - Lelo - Zé Roliço - Nego Cril - Gato Preto - João Besta - Maria Guará - Bibia - Izinha - Mariquinha - Dida - Maria Cem - Dondon - Cobrinha - Maria Três.

Muitas dessas pessoas já não estão entre nós, fica a nossa lembrança em memória à todos eles. 
Fonte da Pesquisa:  livro "História do Magano" do Sr. Lamartine Peixoto Melo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário