quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

A PROPÓSITO DE MOCHILEIROS



Professor Osvaldo Medeiros




Professor Osvaldo Medeiros.
Muita gente desta augusta terra dos Garanhuns e de outras ficou admirada de que houvesse o Lions Clube local dado o nome de um dos seus troféus aos laureados da X Convenção Distrital L-14 "Mochileiros".

Ora o topônimo  dos mais significativos para a reforma demográfica de nosso município. Todo garanhuense que se preze tem o franco orgulho de dizer que procede de ramos familiares provindos daquela região.

Outra não foi a intenção dos que fazem o Lions, tornar conhecido aqui e alhures as raizes da nossa formação como agrupamento humano.

Encravado entre duas suaves colinas, no Distrito de Miracica, município de Garanhuns, está localizada a Mochila. E é a própria conformação geográfica que determinou na eterna sabedoria popular a origem do topônimo.
De fato, parece uma mochila, pois as duas depressões do solo e lá em baixo terras aráveis e cultiváveis dá-nos uma ideia exata de uma mochila aberta.

É em suma um vale; sendo o maior chamado de "Mochila de Cima" e o menor "Mochila de Baixo". Dali provieram as famílias antigas da nossa "urbs". São os Souto, Souto Barros, Salgado, Pereira, Azevedo, os Vaz de onde são oriundos Rubens e Antônio Vaz da Costa, os Machados, os Rodrigues antepassados dos drs. Ivaldo e Ivan Rodrigues, enfim de toda família.

Dos Machados provém o dr.Haroldo, Urbano Machado, os meus tios, Francisco Machado, minha mãe, enfim toda família.

O tabelião Sebastião Jacobina Azevedo, correntino de nascimento, tem inegavelmente ligações telúricas com os Azevedos da Mochila. Razão portanto teve o Lions Clube de Garanhuns de homenagear uma das mais antigas localidades que contribuiram decisivamente para a formação dos grupos familiares  aqui radicados e hoje bem prósperos.

Por isto que o Jornalista Aguinaldo de Barros e Silva, membro do Lions local, ao fazer a saudação à Bandeira de Garanhuns, teceu encômios àquela região o sobretudo à família mochileira, que  hoje já constitui uma boa parte de nossa  atual população.
Fonte: Jornal "O Monitor" de 10/04/1976.

Baú Cultural: Em 1872 começou a negociar em Garanhuns, o Cel. Joaquim Alves Barreto Coelho, no local onde foi a loja de S. Moraes. Era um conceituado cidadão, cujos filhos eram: Elisa Coelho (professora), Adelaide, Everaldo, Arlindo, Dulcina (pintora), Juca e Lavinia (intelectual e pianista).

Nenhum comentário:

Postar um comentário