sábado, 12 de setembro de 2015

DONA ALMIRA DA MOTA VALENÇA - A GRANDE DAMA DA EDUCAÇÃO DE GARANHUNS

Manoel Teixeira Neto


D. Almira da Mota Valença.
Qualquer aluno ou ex-aluno que chega à secretaria do Diocesano o pede o seu histórico escolar, não leva mais do que um minuto para tê-lo em suas mãos. Esse modelo de organização foi introduzido a partir de 1930, quando D. Almira Valença assume a Secretaria do  Colégio, hoje batizada com o seu nome, homenagem póstuma da comunidade diocesana.

Dotada de múltiplos dons, D. Almira foi modelo não apenas na organização e  condução tecnico-administrativa do Colégio, mas igualmente a mestra que a todos se fazia entender, nas salas de aulas, ministrando várias matérias - Matématica, Desenho, Trabalhos Artísticos e Manuais etc. Idem na organização e apresentação de espetáculos artistico-culturais, aos desfiles do 7 de Setembro e 12 de Outubro e na preservação da memória da instituição.

Foi, ao lado de suas irmãs e educadoras, também de grande estilo e competência - Alódia, Anita, Arlinda - a principal sustentação do projeto e modelo pedagógico e administrativo implantado pelo Mons. Adelmar, por mais de 40 anos.

Quantas vezes estávamos eu e os coleguinhas um tanto desajeitados durante os desfiles e lá vem Dona Almira (qual mãe zelosa) dando o seu toque para alinhamento e garbosidade dos tradicionais desfiles! Todos atendia com delicadeza, doçura e suavidade, fazendo-se respeitar no cumprimento do dever e no desempenho de cada tarefa.

Era aplaudida e admirada dentro e fora do Colégio, tendo recebido o título de "Cidadã de Garanhuns", outorgado pela Câmara de Vereadores, pelos relevantes serviços prestados à cidade e à comunidade.


Testemunho do Mons. Adelmar sobre D. Almira:

"Ninguém poderá escrever a história do Ginásio, sem falar no nome de D. Almira da Mota Valença. No seu posto, de 1931 até hoje, sem nenhuma interrupção, tem uma larga e generosa folha de serviços prestados ao Ginásio. Dos cinquenta anos vividos pelo  Ginásio (até 1965) trinta e quatro contam com a presença assídua e abençoada de D. Almira. Na Secretaria e no Magistério, conserva o mesmo entusiasmo dos primeiros anos. Vive para o Ginásio: chega às oito da manhã e sai às dez da noite, trabalhando até mesmo nos feriados. Na Secretaria, o arquivo por ela organizado é modelar, pois, em menos de um minuto, poderá ter nas mãos a pasta, com todos os documentos, de qualquer ex-aluno. No ensino de Matemática e Desenho, tem  um jeito especial para fazer-se compreender. Nos desfiles, sabe descobrir, para toda aquela gente, bandeiras, bandeirolas, flâmulas, escudos, bastões, faixas. Ensaia dramas,  comédias, cantos, com tal perfeição que se tem impressão de ter feito algum curso de arte teatral. Sabe arrumar o Colégio, conservando-o sempre apresentável; sabe enchê-lo de flores e mudar a posição dos móveis, dando uma impressão de novidade e alegria. Goza de uma impressionante autoridade diante dos alunos que a respeitam, entre seus companheiros, para mandá-la à Europa, numa dessas grandes peregrinações; sabendo dessa iniciativa, ela, humildemente, declinou de tão útil lembrança. São impressionantes as palavras que, a seu respeito, escrevem alunos e ex-alunos".


NOME À SECRETARIA

No dia  14 de setembro de 1987, aniversário de D. Almira, foi aposta uma placa denominando a Secretaria do Colégio de "Secretaria Almira da Mota Valença", homenagem dos corpos docente, discente e técnico-administrativo do Colégio, em reconhecimento ao trabalho da inigualável mestra, cuja vida dedicou inteiramente ao Diocesano. A organização dos arquivos da Secretaria modelar, bem como a sua administração por várias décadas, eram os pulmões da própria instituição. Estiveram presentes ao ato, familiares de D. Almira, representados pelo Mons Adelmar, representantes da Diocese de Garanhuns, dos alunos, professores e funcionários do Colégio. Por último, o professor Albérico Fernandes disse: "A homenagem é justa mas pequena diante da grandeza que D. Almira foi para o Diocesano".

Foi considerada pelo saudoso Jornalista Ulisses Pinto como a "Dama da Educação" em nossa cidade.

D. Almira da Mota Valença faleceu em 19 de janeiro de 1987.
Fonte da Pesquisa: Livro "Colégio Diocesano de Garanhuns - Cem Anos de Ciência e Fé" do Professor, Jornalista e Escritor  Manoel Teixeira Neto - 3º Edição Ampliada - ano de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário