quinta-feira, 13 de agosto de 2015

O POETA DE GARANHUNS: MANOEL EMÍDIO PAES






Manoel Emídio Paes


Foi em dia de sol
com neblina de luar,
que conheci Garanhuns
e pedi para ficar,
meus pais estavam de partida
com destino a Paraná.

E realmente me sentia
que eu estava bem sozinho,
me sentei em um banco
em frente a um barzinho,
e logo apareceu um poeta
nas mãos trazia um violino.

Me declarei na poesia
ouvindo o poeta cantar,
suas modas de repente
tive vontade de chorar,
agradeci ao poeta
e fui para a igreja rezar.

Foi na praça São Sebastião,
que esta cena aconteceu,
hoje lembro, faz dez anos
de tudo, quem me valeu,
hoje sou um poeta
e deixo um abraço meu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário