The 3 Week Diet

Sunday, June 28, 2015

MONS. ADELMAR FALA DOS AMIGOS NO PREFÁCIO DO LIVRO DE MARCÍLIO REINAUX

Um Livro Fantástico.
Mesmo sem compreender, respeito e atitude Ivo Amaral que batendo em porta errada, veio pedir-me para escrever alguns comentários sobre o livro "Luís Jardim - As Múltiplas Faces do Talento", de autoria de Marcílio Reinaux. Ivo Amaral, como prefeito, não se contenta em construir praças, fazer calçamentos, cuidar de jardins, limpar ruas, estimular o turismo. Ele estende seus cuidados sobre setores, até mesmo sobre o setor intelectual, mandando imprimir este precioso livro de Marcílio Reinaux.

É o mesmo Ivo Amaral que, na sua gestão anterior, mandou imprimir outros livros e celebrou, festivamente, o centenário de Artur Maia. É o mesmo Ivo Amaral que, como Deputado, teve a glória de ver aprovado, a 1 de dezembro de 1987, o projeto de sua autoria, intitulado "PRÊMIO LITERÁRIO LUIS JARDIM". Ivo Amaral sabe viver o lema "Ad altiora tendere", de Garanhuns. Sabe que, imprimindo esse livro, está elevando e muito, não só Garanhuns, mas, também, dois ilustre filhos desta nossa terra, Luís Jardim e Marcílio Reinaux! Parabéns, Ivo Amaral!
Mons. Adelmar da Mota Valença.
 (im memoriam).

Marcílio Reinaux, participou do concurso que instituiu o "Prêmio Literário Luís Jardim", escondeu o seu nome sob o pseudônimo  de João de Xandu, nome de um primo postiço e companheiro de infância de Luís Jardim. Agora a prefeitura publica o livro para alegria de todos nós. As serras, verdes ou não, quando vistas de longe, são sempre azuis... Assim é o passado da gente: quanto mais distante, mais azul. E eu vejo, no azul do meu passado já tão distante, a figura de Marcílio Reinaux, menino de cinco anos, um "toquinho de gente", aluno do Curso Infantil do nosso Ginásio! Ele e seus coleguinhas, vestidos com suas fardazinhas, passavam respeitosos. E, passando, me enchiam de inveja, pois, infalivelmente, me faziam recordar as palavras do Divino Mestre: "Deixai vir a mim as criancinhas!"

Ivo Tinô do Amaral. Durante suas gestões deu
um grande apoio à nosso cultura local. Junto com
Marcílio Reinaux idealizaram o Festival de
Inverno de Garanhuns.
Marcílio cresceu. E, num desfile de ex-alunos, há poucos anos, nas festividades do nosso Ginásio, ele, marchando, diante de uma assistência numerosa e delirante, ia mostrando a fardazinha que vestira nos seus tempos de aluno do nosso Curso Infantil. Nem sabe ele que aquela sua comovente atitudem naquele desfile, foi a nota mais alta de todas as solenidades daquele Doze de Outubro! E, agora, é esse mesmo Marcílio, pintor e escritor, que, pelas mãos de Ivo Amaral, vai ver publicado o seu livro sobre Luís Jardim, como ele, pintor e escritor. Um gigante, escrevendo sobre o gigante! Uma preciosa homenagem prestada a esta nossa terra, tão amada por ele e por Luís Jardim! Parabéns, Marcílio!
Marcílio Lins Reinaux.

Luís Jardim foi aluno, como eu, de Artur Maia, cuja escola, em 1917, não pôde funcionar. Foi mais uma consequência triste da Hecatombe de 15 de janeiro de 1917, na qual o pai de Luís Jardim foi, também, assassinado. Depois daquela Hecatombe, ele preferiu ir embora. É pena. Se tivesse ficado, teria sido aluno do nosso Ginásio. Lá fora, com sua inteligência privilegiada, venceu. Dele, Garanhuns se orgulha. E não só Garanhuns, mas o Brasil inteiro, pois seus livros têm um sabor que agrada a todos os brasileiros. Escreveu vários livros. Para mim, porém, o melhor de todos eles é o que tem o título "Proezas do Menino Jesus". Não só pelo valor do prêmio dado a esse livro pela Academia Brasileira de Letras! Não só pela riqueza do seu prefácio, escrito pelo lider católico, Tristão de Ataíde! Não só pelos elogios  de Carlos Drumond de Andrade, Raquel de Queiroz e de muitos outros escritores! Não só pelo impressionante número de edições desse livro! Mas é sobre tudo, pelo privilégio de ter sido lido e, muitas vezes, relido por minha mãe, possuidora de uma "infância espiritual" igual àquela que encontra em dada página desse magnifíco livro!
Pinto e Escritor Luís Jardim.

De Luís Jardim, recebi, com data de 18 de dezembro de 1971, esta  carta que guardo com carinho:

"Confesso que foi das minhas melhores alegrias,  a propósito do nosso "Proezas do Menino Jesus" , receber o seu postal, procedente de Garanhuns, a minha terra. Saber que uma senhora de quase noventa anos, a quem Deus quis longeva e lúcida, pela terceira vez, lê o livrinho, dá-me a certeza de que ele se justifica, deveria ter sido escrito e me faz contente porque dele sou o autor. Afinal, admite, só o escrevi por ter nascido em dia muito bonito, 8 de dezembro, e a minha madrinha, Nossa Senhora da Conceição, bem que me ajudou. É meu propósito ir ao Recife, em janeiro próximo (há quase 20 anos, não vou lá) e rever, talvez como despedida, a terra onde nasci, a bonita Garanhuns, e descer no vale onde está o Brejo das Flores, já famoso. Se Deus permitir que eu vá, quero e determino conhecer a Senhora sua mãe, a minha leitora número um, e cobri-la de beijos como que filiais. Agradeço, Padre, a sua benção em nome de Deus. E a ELE, peço que ela viva ainda mais dez anos e espere por mim, lúcida, para me chamar: Lula! Obrigado". 

Luís Jardim cumpriu a palavra dada nessa carta que bem revela a grandeza da sua alma. Veio a Garanhuns, pela última vez. Foi homenageado na Câmara dos Vereadores. Mas antes, foi visitar minha mãe! Pelo carinho dessa visita, pela carta que me escreveu e pelo bem que "Proezas do Menino Jesus" tem feito, peço a Deus que dê ao inesquecível Luís Jardim, a recompensa por ele merecida!

Padre Adelmar da Mota Valença
Garanhuns, fevereiro de 1991

Fonte: livro "As Múltiplas Faces do Talento" de Marcílio Reinaux.

No comments:

Post a Comment