sábado, 13 de junho de 2015

GARANHUNS - AS SETE COLINAS

O Jornalista e Escritor garanhuense Ronildo Maia Leite, faleceu em
05/07/2009 no Recife.
Foto: Alexandre Belém/JC Imagem.

Ronildo Maia Leite

Estamos entre o céu e a terra.
Em São Caetano da Raposa,
se pega a reta das serras.
De longe dá pra se ver
a de Ararobá e do Mimoso,
irmãs gêmeas da dos Unhanhuns.

Em Cachoeirinha,
desembesta pra 600,
empatando com o orgulho das Russas.

Vão subindo
quase um metro por quilômetro caminhando:
650 em Lajedo,
700 em Jupi,
750 em Neves,
onde garoa no inverno
e não há suores no verão.

Pronto.
Chegamos ao décimo-nono degrau,
que é de Santo Antônio de Arobá
e está a 850 metros acima do nível do mar.

Igrejas nas duas cabeças da praça,
dos católicos e dos protestantes.
Ruas com nomes de santos,
becos com nomes de anjos,
praças lembrando poetas.
E também mariposas.
Na de São Francisco,
moravam as mulheres de chamada vida fácil
só porque vendiam denguices
num cabaré com xenhenhéns de buquê
- o Rosa Branca.

Santo Antônio é o ladrilho principal,
mas para se viver
a paz de espírito desse terreno céu
preciso se faz andar, andar
entre não sei quantas serras,
pois são muitas,
debaixo das quais
existem verdadeiras galerias de água mineral.

Faça o favor de entrar.

As chaves do céu na cintura de São Pedro,
vizinho parede-meia de São João.
Um Monumento aos Ventos,
de concreto leve como as sedas,
se levanta em caracol.

Invenção dos poetas, ora essa.
Um deles cismou avistar
nas tantas serras e montes
um não-sei-quê de Sete Colinas,
onde os ventos novos se formam
para se tornar velhos
nas planícies que levam à Serra do Bom-Será.

Ôxente,
ele cantou,
como a velha Roma,
Garanhuns tem sete colinas.

Como o Vaticano,
onde se imortalizam os Papas mortos,
Garanhuns possui uma catedral
onde estão sepultados três bispos
- Dom Manoel de Paiva, Dom Moura e
Dom Expedito.

Como a casa de Deus,
esse chãozão tem várias moradas.
Que são:
as serras do Magano,
Branca de Tacaratu, de Brejão, das Antas,
dos Fojos, dos Bois e do Tará;
os montes Sinai, do Columinho e da Boa Vista.
Além da Gruta d'Água,
alva que nem giz
por causa de suas paredes de caulim.
Debaixo delas,
e deles,
as tais fontes,
as tais águas,
os tais mija-mija minerais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário