quarta-feira, 4 de março de 2015

A LENDA DA MULHER DA MADRUGADA EM GARANHUNS



Nelson Paes Macêdo - 02/10/1976

A mulher da madrugada, figura espiritual que vem atravessando muitos anos, tendo sua presença sido vista em fins do século passado quando decerto assustou os nossos avós, os habitantes da terra do Magano naquela época. Neste período em que vive a nossa geração ela prossegue na caminhada pelas avenidas, ruas e praças da nossa terra. Nunca foi vista nos bairros afastados. Prefere o centro e adjacências da Praça Jardim.

Seu Sales Vila Nova, (O Capitão sales da Guarda Nacional), era o fiscal-zelador do mercado de carne, o açougue antigo, no prédio construído há quase 100 anos por José leal. O seu trabalho começava todos os dias em plena madrugada. Naquele dia ele acordou mais cedo. Era madrugada que antecedia ao sábado. Tinha que organizar os bancos e tarimbas para receber a carne que seria vendida na feira. Três horas e meia da madrugada. A lua grande iluminando a cidade adormecida, passeava no céu escuro, parecendo um guarda noturno com uma lanterna acesa.

A árvore da foto era conhecida como "Pau da Mentira"

Lá vem seu sales abrir o mercado. Vem assobiando como se fosse um pescador chamando o vento. Quando se aproximou do local onde hoje fica o Cinema Jardim, avistou debaixo de uma árvore, uma bonita mulher vestida à moda antiga. Passou em frente onde ela estava. Parou. Ela perguntou: Que horas são? "Três e meia da madrugada". O diálogo findou. Ele prosseguiu em direção ao mercado. parou três vezes e olhou para trás. Fez um sinal, um convite. Palavras são trocadas. O convite é feito. Ela aceitou. Entrou no velho edifício do século passado. Seu Sales fechou a porta, e, para sua grande surpresa a mulher havia desaparecido. Procura aqui, procura ali, vasculha todo o salão, revira bancas, acende um candeeiro, e nada... a mulher misteriosa desapareceu.
Capitão da Guarda Nacional, Sales
Vila Nova
Seu sales, homem dotado de extraordinária coragem para enfrentar os acontecimentos da vida real, treme naquela hora, diante do sobrenatural. Abre a porta, fica na calçada e respira satisfeito com a chegada dos primeiros "marchantes", que  conduzem para o açougue a carne de bois, porcos e bodes, carnes tão diferentes daquela sensual e misteriosa, que estivera com ele há poucos minutos.

Você, que altas horas da noite percorre as ruas da cidade adormecida, principalmente a Praça Jardim, Rua Dr. José Mariano, Praça Souto Filho e adjacências, (locais preferidos) se encontrar uma linda mulher, bela e fascinante, tenha calma, não avance o sinal, pode ser que seja ela "A MULHER DA MADRUGADA".
(Fonte: Jornal "O Monitor").

Nenhum comentário:

Postar um comentário