FESTIVAL VIVA DOMINGUINHOS

sábado, 21 de março de 2015

AS BELAS FONTES CRISTALINAS.

Sítio do Pau Pombo, propriedade do senhor João Carneiro,
na época tinha limites com as terras da Igreja de
Santo Antônio. Final do Século XIX.

As primeiras povoações iam buscar água na Vila Maria, descendo a ladeira da "Rua do Açude", rua Capitão Tomáz Maia, nome do antigo proprietário da fonte. Garanhuns, pois, embora elevada, nasceu das águas. Cidade de montanha, naturalmente fria, sobre qual o famoso Luiz Gonzaga cantou: "Onde o nordeste garoa", composição do caruaruense Onildo Almeida.
Capitão Tomáz Maia.  Foi
proprietário da Fonte  da
"Vila Maria".

É sabido que o clima e a água bons influenciaram decisivamente na elevação  de Garanhuns  à categoria de cidade em 1879. O deputado provincial, Silvino Guilherme de Barros, o Barão de Nazaré, tendo conhecido esta terra um ano antes, apresentou o projeto e defendeu-o falando das riquezas: "Sr. Presidente, quando disse que Garanhuns era terra em que se ia lá buscar saúde, referia-me também (tenho gosto de repetir) às belas fontes cristalinas que ali há e que, a despeito dos maiores verões, nunca secam".

No livro "A Terra dos Garanhuns", o professor e historiador João de Deus de Oliveira Dias afirmou: "A temperatura da água é normal, no verão e no inverno. O futuro de Garanhuns está, pois assegurado como cidade estância hidromineral".

Reservatório da Companhia de Melhoramentos de Garanhuns.
Pau Pombo em 1923.

A Vila Maria era a mais tradicional, depois a Vila Regina perto do Pau Pombo e numa época (nos primeiros anos da década de 50), o Pau Amarelo no bairro de Heliópolis, estas fontes vendiam os banhos de chuveiro. Então, eram poucas as casas que já tinham água encanada e maior parte da população apanhava água nas vilas e tomava banho aos sábados e domingos nos banheiros que ofereciam água a vontade.

Belo Casarão do Capitão Tomaz Maia, antiga Rua do Açude, hoje
Rua Capitão Tomáz Maia.

Isto, para muitos, era motivo de festa e iam em grupos, toalhas às costas, levando uma ou duas garrafas de aguardente. À entrada das vilas, havia cocadas e outros doces para se comprar. Da Vila Maria se tirava muita água.

Gente com carroça de mão, mulheres com latas d'água na cabeça e inúmeros jumentos conduzindo, como carga, 4 latas cheias, para serem vendidas pela cidade. O movimento era grande. Não se sabe como tudo isto acabou e as fontes foram abandonadas.

O primeiro serviço dos encanamentos foi com Ruber van der Linden, criada a Empresa de Melhoramentos de Garanhuns. A primeira fonte explorada foi a do Pau Pombo e, a medida que a cidade foi crescendo, as águas da Várzea e do Pau Amarelo. O curioso é que, nesses tempos, mesmo a água sendo das fontes, niguém bebia, por ser encanada.
(Fonte da Pesquisa:  Jornal "O Farol").