The 3 Week Diet

Saturday, September 6, 2014

LIVRO "PINGOS DE GARANHUNS" - DATAS HISTÓRICAS DE GARANHUNS



Apresentação:

Audálio Ramos Machado Filho

Um surpresa agradável e cheia de porquês, foi ter conhecimento da obra não publicada de Dona Arlinda da Mota Valença: "Pingos de Garanhuns", que chegou às minhas mãos através dos confrades do Instituto Histórico Geográfico e Cultural de Garanhuns, professores Claúdio Gonçalves e Antonio Vilela.

Na cidade onde o Nordeste Garoa, "pingos" não somente do orvalho da Serra dos Garanhuns, encravada soberanamente no Planalto da Borborema. Mas também de cultura, de erudição, de amor à esta terra que se misturou com a história e com a vida da família Mota Valença.

Escrito em 1969, a obra teve divulgação restrita entre familiares e amigos próximos da autora. Como um tesouro que tem data e hora certas para vir ao conhecimento de todos, chega até nós, com a anuência da família, em uma edição comemorativa aos 203 anos de criação do município de Garanhuns, como primeiro número da Coleção do Instituto Garanhuns.

Contamos com a colaboração e parceria dos seus sobrinhos Pedro Jorge Valença, Pedro Gerson Silvestre e Andre Valença. No Instituto todos se empolgaram, e cada um colaborou ao seu modo. Afinal não se poderia deixar relevado a um universo restrito uma singular e simpática.

Ao ser convidado pelo professor Antonio Vilela, editor desta edição, para fazer esta apresentação, me senti recompensado em retribuir com tão pouco o que recebi dos Mota Valença, do Monsenhor Adelmar, querido mestre e exemplo de sacerdote, mas também de Dona Anita Valença, minha primeira professora, que tive a alegria de rever mais uma vez na alegria dos seus 101 anos!

Há muitas formas de escrever "Garanhuns", cada um faz da forma que seu coração inspira, e aquilo que se escreve sempre transcende o simples mundo da literatura e passa a ser um transbordar da alma altaneira dos que bebem dessas águas minerais.

Alfredo Leite Cavalcante, João de Deus de Oliveira Dias, Alfredo Vieira, Alberto da Silva Rêgo, Abdísio Vespasiano e Álvaro Lemos; Ruber van der Linden, Neide Tavares, Souto Dourado, Claúdio Gonçalves, Marcílio Lins Reinaux, Manoel Neto Teixeira, apenas para citar os que falam da Garanhuns histórica, a eles se soma, agora oficialmente, apesar da ausência física de Dona Arlinda da Mota Valença.

Desfrutemos das páginas belas de "Pingos de Garanhuns", sentindo Garanhuns fluir mais uma vez, e sempre, em nossos corações.(Audálio Filho é Economista, sócio fundador do Instituto Histórico, Geográfico e Cultural de Garanhuns e Vereador).

Família Mota  Valença
DATAS HISTÓRICAS DE GARANHUNS:

1534 – Fundação da Capitania de Pernambuco.
Século XVII – Povoamento da região centralizada por Garanhuns.
1621 – Floresce a Casa da Torre, fundada por Garcia d’Ávila – centro da expansão pastoril.
1637 – A região se povoa por gente branca, que se desloca para o interior, fugindo do domínio do povo holandês. Desde o ano de 1634.
Origem de Garanhuns. Penetração de brancos e negros. Nicolau Aranha se apropria do local chamado Sitio do Garcia, para criação de gado.
1670 – O Sitio do Garcia que havia sido destruído pelos negros, em consequência da Guerra dos Palmares, passou a chamar-se Tapera do Garcia.
1694 – (05.02) – Derrota dos Palmares. Domingos Jorge Velho lutou contra os holandeses e os Palmares. A Guerra dos palmares foi extinta. Os índios e os negros foram desaparecendo.
1687/1692 – Extinção na região, dos índios Cariris.
1695 – A Tapera do Garcia passou a pertencer a Miguel Coelho Gomes e a Simôa Gomes Filho, a neta de Domingos Jorge Velho, o Sertanista.
1696 – É exterminado o reduto dos negros; a região começa a prosperar.
1699 – São criados os julgados (ou varas) nos quais a região de Garanhuns está incluída.
1700 – Criado e instalado o Distrito Judiciário sob a forma de Julgado, com a denominação de Capitania do Ararobá.
1700 – Criada a freguesia de Santo Antonio do Ararobá, denominada Curato de Santo Antonio do Ararobá.
1704 – Manoel Ferreira de Azevedo compra a Tapera do Garcia.
1705 – Manoel Ferreira de Azevedo toma posse da Tapera do Garcia.
1729 – Morre Manoel Ferreira de Azevedo, esposo de Simôa Gomes. 
1729 – Simôa Gomes de Azevedo assume a administração da Tapera do Garcia. Simôa Gomes era analfabeta mas muito piedosa e tinha coragem e tino administrativo.
1729 – Construção da Igreja dedicada a Nossa Senhora da Conceição. Com frente para o Oeste, localizada na atual Av. Santo Antonio, mais ou menos na altura do Banco do Brasil, substituindo a Capelinha então demolida. Construção também do Cemitério, onde hoje é o Colégio Santa Sofia.
1741 – A região do Ararobá foi tomada pelo governador da Província Cap. João Fernandes Vieira, que a vendeu toda e parte que sobrou, doou a Confraria de São Felipe Nery (22.07.1741)
1752 – Simôa Gomes faz doação de uma considerável quadra de terras, a Confederação das Almas, com patrimônio, sendo por centro a Igreja N. S. da Conceição.
1756 – Simôa Gomes ratifica através de Escritura Publica, a doação das terras que fizera à Confraria das Almas.
1762 – A Freguesia de Santo Antonio do Ararobá, criada em 1700 sob forma de Curado, passa a Freguesia de Santo Antonio de Garanhuns.
1762 – Tapera do Garcia deixa de ser sede da Capitania do Sertão de Ararobá e passa a denominar-se Povoação de Santo Antonio de Garanhuns.
1763 – Morre Simôa Gomes de Azevedo.
1766 – Mediante Carta Régia, a Província cria vilas.
1777 – Por Carta Régia de  1766, cria em 10..01.77, o Julgado de Garanhuns.
1786 – Por ato da Mesa de Consciência e Ordem, o CURATO passa a VIGARIATO, tendo como primeiro Vigário o Padre Fabiano da Costa Pereira – o ultima Cura.
1788 – Neste ano a população de Garanhuns era em media 15.800 habitantes.
1802 – (julho) – A Povoado de Santo Antonio de Garanhuns deixar de ser Curato, tendo por Curas os Padres Pedro Tavares da Silva Sarmento e João da Silva Fonseca, teve por primeiro Vigário o Pe. Fabiano, que passou de Cura a Vigário.
1809 – Conta-se que em 1809 – ano de seca e fome, houve um abalo sísmico bastante forte.
1811 – A povoação de Santo Antonio de Garanhuns, por Carta Régia, foi incluída entre as demais que passaram a VILA. (10.03)
1813 – Inauguração da Vila de Santo Antonio de Garanhuns. (13.12)
1818 – A região integrada por Garanhuns perde Altinho, Panelas, Jurema, Quipapa, Maraial, Cupira, Angelim, Lagoa do Ouro, S. Caetano, Caruaru, Catende.
1820 – Funcionava em Garanhuns a escola particular do Professor Estevão Soares Leite Albuquerque.
1820 – Instalado o telefone na estação da GWBR (21.09).
1833 – Garanhuns passa a integrar comarca de Brejo da Madre de Deus.
1836 – Desmembrada da Comarca de Brejo da Madre de Deus, é criado Comarca de Garanhuns, de acordo com a Lei Provincial n° 000 22.
1836 – São novamente anexados à região Garanhuns, Inajá, Buique, Pedra, Sertânia, parte de Canhotinho.
1837 – Instalada oficialmente a Comarca de Garanhuns com posse do primeiro Juiz Dr. João Pereira de Carvalho.
1839 – Criado o município de Bonito que se desmembrou de Garanhuns, desmembraram-se também Altinho, Panelas, Lagoa dos Gatos. Ratificando: desmembra-se São Joaquim de Monte Agrestina e parte de São Caetano.
1854 – Foram desmembrados: Inajá, Pedra e Sertânia.
1855 – Início da construção da Igreja (hoje catedral) pelo Pe. Nemésio de São João Gualberto.
1855 – Constavam-se na vila 156 casas. O  Pe. Nemésio de São João Gualberto começa a construção da nova igreja.
1855 – O Juiz de Direito Dr. José Bandeira de Melo sequestra a quadra das terras doadas por Simôa Gomes à Confraria das Almas e incorpora toda a quadra ao patrimônio nacional.
1859 – É inaugurada a matriz de Santo Antonio (hoje Catedral de Garanhuns).
1860 – Desmembraram-se de Garanhuns, São Bento do Uma, Lajedo, Canhotinho e parte de Angelim.
1861 – Bom Conselho se desmembra de Garanhuns.
1869 – Em obediência a Lei 1423, Correntes se separa de Garanhuns.
1872 – Reforma da igreja (hoje Catedral), por Fr. Caetano de Messina Sobrinho.
1872 – Começou negociar em Garanhuns, o Cel. Joaquim Alves Barreto Coelho, no local onde é a loja de S. Morais. Era um conceituado cidadão, cujos filhos (todos ilustres), eram: Elisa Coelho (professora) Adelaide, Everaldo, Arlindo, Dulcina (pintora) Juca e Lavinia; (intelectual e pianista).
1878 – O Barão de Nazaré – Silvino Guilherme de Barros visita a Vila de Garanhuns e propõe ao Presidente da Pernambuco, a sua elevação a Cidade.
1879 – O Presidente da Província  - Bacharel Adolfo de Barro Cavalcanti de Lucena – sanciona a lei n°1309 que eleva a Vila de Santo Antonio à categoria de cidade.
1882 – Construção da Igreja de Brejão que era na época um povoado muito florescente, com suas casas alinhadas supervisionado pelo cidadão – Francisco Carvalho, capitão do 8° Corpo do Batalhão.
1878 – Funcionava a escola publica do Prof. Manoel Clemente da Costa Santos.
1886 – Visita do Conde d’Eu, genro de D. Pedro II em cuja comitiva encontrava o Dr. José Mariano Carneiro da Cunha.
1887 – Com a chegada do primeiro trem inaugurou-se em Garanhuns, um ramal da estrada de ferro procedente de Palmares.
1887 – Inauguração da estrada de ferro, decreto do Presidente da Província Pedro Vicente de Azevedo e chega em Garanhuns o primeiro trem.
1890 – Garanhuns é governado pela intendência que se compõe de sete Membros.
1891 – Demolida a primeira igreja de Garanhuns à Avenida Santo Antonio. Os tijolos fora para construção do Cemitério.
1891 – A intendência foi deposta. Fez-se eleição; o Prefeito eleito foi o Padre Pedro Pacífico de Barros Azevedo. Os períodos administrativos eram de dois, três, quatro anos ate 1917 – (dezembro).
1891 – Palmeirina desmembre-se de Garanhuns porque se eleva a categoria de Município.
1891 – É totalmente demolida a primeira igreja de Garanhuns e os tijolos são aproveitados na construção de cemitério edificado com uma capelinha, onde hoje é o Parque dos Eucaliptos.
1892 – Realiza-se a primeira eleição para preenchimento de cargos do governo. Foram eleitos Prefeito o Major Antonio da Silva Souto; Sub Prefeito Cap. Napoleão Marques Galvão; Conselheiros Agostinho José de Góis, Antônio Paes da Silva Souto; Augusto Casaria de Araújo, José Alves da Silva Tororó, Pascoal Lopes Vieira de Almeida, Vitorino Alves Monteiro.
1894 – Chegada em Garanhuns, dos primeiros protestantes da Igreja Presbiteriana vindo do Recife. Um deles era o Dr. George Butles.
1895 – Garanhuns é elevado a categoria, de Município autônomo (07.01).
1895 – Funciona a primeira escola pública da professora D. Maroca Jardim.
1898 – Em Brejão funciona a primeira escola pública.
1900 – Fundação pelo Pastor Martinho de Oliveira do Colégio que em 1908 passou a denominar-se Colégio 15 de Novembro. Tentativas para fundação desse Colégio havia sido feita por David e Mac all Low.
1905 – Editado jornal “O GARANHUNS” composto e impresso por Antonio Miranda Souto Filho, Antonio Brasileiro e Tomáz Vila Nova.
1906 – Reforma da Igreja pelo Padre Manoel Pires de Carvalho.
1906 – Criada a Banda “2 de Março” pelo intelectual e maestro Luiz Brasil.
1909 – É instalado o Cartório do Registro Civil do Distrito de Brejão.
1910 – Circula o jornal "A ÉPOCA".
1911 – Garanhuns compreendia os seguintes distritos: Sede, Brejão de Santa Cruz; São João, Sigismundo Gonçalves (Angelim) Serrinha de São Luiz Gonzaga.
1911 – Foi eleito para Prefeito, Argemiro Tavares de Miranda, que renunciou antes de terminar o mandato.
1911 – Circulou o jornal "O TEMPO" dirigido por Hortêncio Costa, Amadeu Aguiar e Artur Maia. (04.10).
1912 – Começa os “Poetas de Garanhuns”.
1912 – Instalação do Colégio Santa Sofia pela Superiora Francesa Mme Elisabeth Doubleare.
1912 – Arthur Brasiliense Maia que escrevia sob o pseudônimo Lyrio do Vale, foi cognominado “Príncipe dos Poetas”.
1913 – Reforma da Igreja (atual Catedral) pelo Mons. Afonso Pequeno.
1915 – Começo da organização do Sport Club de Garanhuns.
1915 – Criação do Ginásio de Garanhuns, pelo Cônego Benigno Lyra, instalado à Av. Santo Antônio tendo por Diretor o Padre José Ferreira Antero, somente para meninos. (19.03).
1916 – Chega a Garanhuns, de passagem o primeiro automóvel, de propriedade de Delmiro Gouveia, procedente de Pedra – Alagoas.
1916 – Instalam-se em Garanhuns duas agencias telegráficas – uma na sede do Município, outra no povoado de Brejão de Santa Cruz. (18.12)
1916 – Realiza-se a eleição para o governo do Município sendo eleito prefeito o Cel. Júlio Brasileiro. Eleição foi anulada. Realiza-se outra eleição sendo Júlio novamente eleito não chegando a tomar posse porque foi assassinado.
1916 – Francisco Grossi (Chicó) consegue instalar na cidade água encanada domiciliar.
1917 – O Município põe em concorrência o serviço de iluminação elétrica, vencendo a proposta da firma Pontual & Rangel.
1917 – Hecatombe – A cidade de Garanhuns escreve uma pagina negra em sua história, com o acontecimento designado "HECATOMBE DE GARANHUNS", fato que a Cidade das Flores evita divulgar, ou mesmo comentar, o aspecto das barbaridades, torturas e heroísmo, que então se verificam; 
Seles Vila Nova, homem que fazia muita caridade aos pobres mas, que muito falava, levou uma surra;
Júlio Brasileiro, eleito prefeito, é assassinado, no Recife por Sales Vila Nova.
Cidadãos da maior projeção social, médicos, comerciantes, noivos, jovens – são recolhidos à cadeia, em garantia de vida;
O Cabo Cobrinha se joga deitado à porta da cadeia, para defender os que então detidos mas foi assassinado.
O Cônego Benigno Lyra, vigário da paróquia Com um crucifixo nas mãos, infiltra-se na multidão dos exaltados, em frente à Cadeia; pedindo paz, pelo amor de Deus;
Um grupo armado transpõe o corpo de Cabo Cobrinha, estendido na porta, e mata  todos os que se achavam recolhidos, em busca de garantias de vida.
1917 – Organiza-se a firma Pontual & Rangel, que cria a Empresa de Melhoramentos de Garanhuns.
1918 – A Empresa de Melhoramentos de Garanhuns encorpa o serviço de luz elétrica.
1918 – Criação da Diocese da Garanhuns por solicitação do Arcebispo de Olinda – Recife – Dom Sebastião Leme – ao Papo Bento XV: Era Pároco da Matriz de Garanhuns, o Cônego Benigno Lyra. (02.08).
1918 – Início da instalação dos telefones em casas particulares. (02.02).
1919 – Reforma da Igreja -  Matriz, por Cônego Benigno Lyra.
1919 – Inauguração oficial do Serviço de Luz elétrica. Em abril o sócio Francisco Pontual foi substituído por José de Almeida Filho. (02.02).
1919 – A firma Almeida & Rangel inaugura o prédio da usina dos serviços de eletricidade, com um possante motor SULZER DIESER. (25.12).
1919 – É eleito o primeiro bispo de Garanhuns – Dom João Tavares de Moura. (03.07).
1919 – Sagração de Dom Moura, na Catedral de Olinda. (07.09).
1919 – Chegada e posse de Dom Moura. (26.10).
1919 – Construção de estrada de rodagem para São João.
1919 – Organização do SPORT CLUB GARANHUNS. Presidente Or. Genésio Vilela; vice Joaquim Leal – secretário Mário Lyra; 2° secretário Waldemar Guimarães; orador Massilon Souto; tesoureiro Ismael Gouveia. (11.10).
1919 – Jogo do SPORT com o “Colônia Foot Beat Club” na chegada do Dom Moura. Resultado 0x0. O Dr. Vítor Moura, Irmão de Dom Moura foi nomeado presidente do SPORT que durante dois anos nenhuma derrota sofreu. (27.10). Mais tarde na presidência do Dr. Luiz Guerra conseguiu construir, com o vultuoso numero de sócios sede própria, ricamente mobiliada.
1920 – Inaugurada os serviços de água pela Empresa de Melhoramento de Garanhuns.
1920 – Primeira escola localizada em São Caetano (Caetés).
1920 – Eram distritos: Sede, São João, Brejão, Segismundo Gonçalves (Angelim), Serrinha, São Caetano (Caetés).
1920 – A Empresa Melhoramentos de Garanhuns encampa o serviço de Telefones de Garanhuns.
1921 – Fundado o COMÉRCIO SPORT CLUB, atualmente AGA (Associação Garanhuns de Atletismo) a iniciativa foi Mário Lyra e José Maia, jogadores do SPORT. Jogou pela primeira vez com o São José Sport Club, cujo resultado foi 0x0. (26.06).
1922 – Inaugura o monumento IPIRANGA e da matriz de São Sebastião da Boa Vista, em comemoração ao Centenário da Independência do Brasil.
1922 – Instalação dos Cartórios de S. Caetano e Serrinha.
1922 – Funda-se o Grêmio Polimático, sociedade cultural de Garanhuns. (02.07).
1923 – Eram povoados S. João, Brejão, Serrinha, São Pedro, Timbó, São Caetano e Angelim.
1923 – Eram distritos, com juízes e suplentes: São João, Angelim, Brejão, Serrinha de São Luiz Gonzaga e São Caetano.
1923 – Construída a rodovia para São José das Baraúnas. (Miracica).
1925 – Reforma da Igreja Catedral, por D. Moura.
1925 – Construção da rodovia para Caetés e Itacoatiara.
1925 – Instalada a iluminação elétrica de São João.
1925 – Construção da estrada para S. Pedro.
1925 – Iluminação elétrica em Brejão por firma particular e construção da rodovia Garanhuns/ Brejão.
1926 – Inauguração do povoado de São José das Baraúnas e chegada no povoado de um automóvel.
1926 – O Cemitério de Itacoatiara (Paranatama) foi construído em terreno doado por João Correia de Assis, foi inaugurado com a sepultura de José Porto da Silva; a segunda pessoa que foi sepultada foi Emilio Alexandre de Noronha.
1927 – O primeiro avião que pousou em Garanhuns foi o “GAROTO”, na festa do café. (12.10).
1928 – Garanhuns perde Angelim, que é elevado à categoria de município. (11.09).
1928 – Morre D. Moura em São Paulo. (13.07).
1928 – D. Moura é sepultado na Catedral de Garanhuns. (02.08).
1928 – Fundada a Associação Comercial de Garanhuns. Presidente: Bernardino Ferreira Guimarães.
1929 – Posse de D. Manoel Antonio de Paiva, segundo bispo de Garanhuns. (08.12).
1930 – Circula o “Diário de Garanhuns”, desta data até dezembro de 1937.
1930 – Recenseamento de Garanhuns, Município. 30.433 habitantes. Cidade 20.918 habitantes.
1931 – Garanhuns assiste ao primeiro cinema falado, no cinema GROSSI, do genial Francisco Grossi (Chicó). No tarde esse cinema passou a denominar-se Cinema Gloria.
1931 – Funciona uma escola Municipal em Miracica.
1933 – Morre Arthur Brasiliense Maia, o Principal   Poeta de Garanhuns foi o primeiro Inspetor Municipal do Ensino, nomeado por Mário Lyra em 1931. Era Diretor e professor da Escola Raul Pompéia. Escrevia com o pseudônimo de Lyrio do Vale.
1934 – Nova organização judiciária aos distritos e se criaram São Pedro, S. José de Baraúnas e São Vicente de Férrer.
1934 – Organização jurídicas dos distritos, conforme decreto  municipal n°21. (12.06).
1936 – Incitação do Cartório de Registro Civil de São Pedro. Juiz o Sr. Abílio Camilo Valença.
1937 – Morre, D. Manoel Antonio de Paiva, Bispo de Garanhuns. (19.05).
1938 – A sede do Município é dividida em duas zonas distritais, a primeira no chamado bairro de Garanhuns e a segunda no bairro da Boa Vista, em virtude da lei orgânica nacional n° 311 de 02.03.38 e dos decretos 167 de 21.08.38 e 225 de 12.12.38.
1938 – Os distritos administrativos são: Sede, S. João, Brejão, Itacoatiara (Serrinha), Caetés (São Caetano), Miracica (S. José de Baraúna), Iratama (S. Vicente de Férrer), Itacatu (S. Pedro).
1938 – Eleito o 3° Bispo de Garanhuns – D. Mário de Miranda Vilas Boas. Natural de Rio  Grande do Sul.
1938 – Sagração de D. Mário em Aracajú. (30.19).
1938 – Posse de D. Mário em Garanhuns. (21.11).
1938 – O decreto 33 reconhece como administrativos os distritos criados em 1934 (Iratama e Miracica).
1939 – Os distritos se oficializam como administrativos. (01.01).
1941 – Criada a paróquia de Santa Teresinha. 1° pároco: Tarcisio Falcão. (09.02).
1941 – São João reorganiza o seu governo e elege o prefeito Sr. Pedro de Souza Lima.
1943 – (Dezembro) D. Mário realiza o primeiro Congresso Eucarístico Diocesano, que se equiparou a um Congresso Eucarístico Nacional.
1944 – Promovido para Belém do Pará, D. Mário deixa Garanhuns. (21.11).
1945 – Dom Juvêncio Brito, Bispo de Caitité, é transferido para Garanhuns. (12.05).
1949 – Realiza-se em Garanhuns, o primeiro Congresso Médico.
1950 – O recenseamento deste ano dá ao Município de Garanhuns 101.430 habitantes e a cidade, 20.918 habitantes.
1950 – Garanhuns compreende os distritos: Sede, Caetés, Iratama, Itacatu, Miracica, Paranatama, São João, Brejão.
1951 – D. Juvêncio inaugura o Seminário São José. (22.02).
1951 – Inauguração da Rádio Difusora de Garanhuns.
1952 – Garanhuns recebe a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima. (30.08).
1952 – Instalação da Agência do Banco Nacional do Norte – BANORTE – (07.07).
1952 – Criação e inauguração do Colégio do Arraial atualmente Colégio Mons. Adelmar da Mota Valença (07.03).
1953 – Instalação, da Caixa Econômica de Pernambuco em Garanhuns. (06.01).
1953 – Criação do Posto de Puericultura. (17.10).
1954 – Morre no Recife Dom Juvêncio de Brito. (31.01).
1954 – D. Juvêncio é sepultado em Garanhuns. (03.02).
1955 – Chegada de Dom Francisco Expedito Lopes 5° Bispo de Garanhuns (10.02). Morreu assassinado por um sacerdote da sua Diocese (Padre Hosana) em 02.07.1957.
1955 – Garanhuns é considerado o maior produtor de água mineral de Pernambuco.
1958 – A Lei estadual n°3.334, a vigorar em 01.01.59, desmembra Brejão de Garanhuns. (31.12).
1958 – Instalado o Seminário de Endemias em Garanhuns. (18.06).
1958 – A Lei estadual n°3.980 desmembra São João de Garanhuns. (25.11).
1958 – D. José Adelino Dantas, Bispo de Caicó, é transferido para Garanhuns. (03.05).
1958 – Posse do 6° Bispo de Garanhuns, Dom José Adelino Dantas. (13.09).
1958 – Realiza-se em Garanhuns um Seminário e Endemias.
1959 – Posse do Juiz da 2ª vara, Dr. Carlos Alberto Maranhão. (09.02).
1960 – Recenseamento Município, 113.392 habitantes. 
1960 – Fundado o Colégio Estadual por influência do deputado Estadual Inaldo Lima.
1961 – Fundação da Casa de Saúde Santa Terezinha, pelo Dr. Ivaldo Dourado Rodrigues. (27.03).
1961 – Comarca foi elevada a 3ª entrância com duas varas cíveis.
1962 – O distrito de São João é elevado à  categoria de Município autônomo. (01.03).
1962 – O distrito de Brejão é elevado à categoria de Município autônomo. (16.05).
1963 – Em virtude das leis 4.944 e 4.987, os distritos de Paranatama e Caetés são elevados à categoria de Municípios autônomos, no dia 19 de janeiro de 1964. (20.12).
1963 – Criado o Colégio Municipal pelo Prefeito Amilcar da Mota Valença. (30.11).
1964 – Construção do açude pelo engenheiro José Amaury Loreto Motta. (26.11).
1964 – Colocação do busto de Ruber van der Linden na entrada do parque do seu nome. (setembro).
1964 – Instalada a Maternidade de Garanhuns. (04.07).
1964 – Instalação da GISA. (06.10).
1964 – O Colégio Municipal começa a funcionar em uma dependência do Colégio Diocesano, cedida pelo então Diretor Mons. Adelmar Valença. (01.03).
1964 – O Governador Paulo Guerra dá expediente em Garanhuns. (07.12).
1965 – Doação do terreno ao Ministério da Guerra para uma organização militar – Quartel do 71 BI pelo Prefeito Amilcar Valença. (24.02).
1965 – Inaugurado o Mercado “18 de Agosto”, assim denominado lembrando a vitória eleitoral do Prefeito Amilcar da Mota Valença, em 18 de agosto de 1963.
1965 – Instala-se em Garanhuns uma Agência do Banco Econômico da Bahia. (abril).
1965 – Ultima viagem do trem da via férrea Garanhuns-Recife. (19.11).
1965 – O Governador de Pernambuco instala em Garanhuns o Núcleo de Supervisão Pedagógica. No Governo de Paulo Guerra. (10.05).
1965 – Doação de um terreno ao Sindicato dos Bancários. Lei 1.164. Área 7.423,95 metros quadrados. Data 06.11.
1966 – Em Itacatu (São Pedro), o Governador Paulo Guerra inaugura a iluminação elétrica. (09.01).
1966 – Inauguração da Micro-ondas no alto de Columinho em prédio próprio, construído pela Prefeitura, na administração de Amilcar da Mota Valença. (10.05).
1966 – O Governador Paulo Guerra inaugura em Garanhuns o Parque para exposição de animais. Data 16.01.
1966 – Garanhuns recebe a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida. (05.11).
1967 – Inauguração do Abrigo São Vicente de Paula. (30.04).
1967 – Inauguração da Vila José Bernardino Teixeira, construída pela Prefeitura em convênio com o Serviço Social contra o Mocambo. Administração Amilcar Valença. (18.01).
1967 – Início do funcionamento do Cinema Eldorado no bairro Heliópolis prédio reformado por José Maria Dourado. (24.05).
1967 – Inauguração do Grupo Escolar no Aprendizado Santa Rosa. (18.01).
1968 – Inauguração do prédio do Quartel do 71 BI. Com a presença do Marechal Costa e Silva. (10.08).
1968 – Reforma da Igreja – Catedral pelo Monsenhor Tarcisio Falcão.
1968 – Neste ano a temperatura média de Garanhuns foi 13° (mínima) agosto, 32° (máxima) dezembro.
1970 – Recenseamento zona rural 71.724 habitantes e zona urbana  49.579 habitantes.
1971 – Inaugurado o Telefone de São Pedro. Às 16 horas, Francisco Ribeiro, testando, fez a primeira ligação para Garanhuns. (12.09).
1971 – Inauguração do prédio do INPS. (04.07).
1973 – Campeonato das Cidades do Estado de Pernambuco. Garanhuns obteve o primeiro lugar vencendo Jaboatão que obteve o 2° lugar. (15.11).
1981 – Inauguração, do Relógio de Flores na Praça Tavares Correia. O Prefeito era Ivo Amaral. (31.01).
1981 – Inauguração da Fonte Luminosa, localizada na Praça Souto Filho.
1983 – O distrito de Itacatu volta a denominar-se São Pedro em virtude de Lei 9.281, do Governador de Pernambuco Roberto Magalhães.
1984 – Entra em funcionamento as duas varas cívicas criadas em 1961.
1984 – Começa a funcionar uma escola em São Pedro.

2 comments:

  1. Uma história surpreendente esta de Garanhuns, parabéns aos seus editores...

    ReplyDelete
  2. Sou natural de PE Vila de Iatecá -Saloá.

    ReplyDelete