Wednesday, August 6, 2014

TRAIÇÃO VIRTUAL




Entrevista cedida pela psicóloga Marisa de Abreu para o repórter Sérgio Teixeira  do  jornal Folha da Região 

1) Existe diferença entre traição no mundo real do mundo virtual? Qual?

Psicóloga: Sim, a diferença é que as pessoas acreditam que enquanto não houver contato físico não existirá traição. Mas precisamos definir o que seria traição, na verdade a traição pode ser emocional ou física.

Um bom parâmetro para definir traição pode ser o sigilo, ou seja, a pessoa que está se relacionando com outra via internet mantém esta relacionamento em sigilo? Se seu (ou sua) parceiro souber ficará bravo? Se a reposta for sim estamos sim falando de traição.

2) O que pode levar o parceiro a usar a internet para se relacionar virtualmente ou encontrar outros parceiros para um relacionamento paralelo?

Psicóloga: O ser humano de forma geral é motivado pela adrenalina, e os relacionamentos via internet oferecem muita adrenalina. O suspense e a imaginação ficam a mil. Não significa que esta pessoa não tenha um relacionamento satisfatório em casa, mas ele pode passar a considerar insatisfatório pois começa a comparar seu relacionamento real, com todas as verdades do dia a dia, com algo que está repleto de “perfeição” – que não se manterá quando, e se, este relacionamento virtual passar para vida real.

3) A impressão de que o avanço da internet favorece um maior número de traições está correta? Por que?

Psicóloga: Quanto mais ocasiões mais ladrões. É mais fácil fazer regime quando não há um só doce em seu armário ou geladeira, da mesma forma é mais fácil não trair virtualmente quando não há computador, internet rápida, etc. Mas não seria justo perdermos todas as facilidades que a internet oferece apenas para evitar traições. O ideal é cada um pensar um pouco a respeito e antes mesmo de entrar nessa saber o quanto vale a pena, ou não,  manter o relacionamento que já tem.

4) Há motivos mais comuns que levam uma pessoa a trair?

Psicóloga: Há as pessoas que traem para fugir de suas realidades chatas e sem graça em seus relacionamento, há as pessoas que não conseguem sair de relacionamentos falidos e apelam para a traição para terem coragem de tomar uma atitude, mas também há pessoas que traem simplesmente porque não conseguem gerenciar seus impulsos. Claro que um novo relacionamento é sempre muito emocionante e gostoso, mas será que é valido passar a vida em busca de novos e emocionantes relacionamentos? 

5) Quais problemas psicológicos a pessoa traída num relacionamento afetivo está sujeita? Quem trai também pode sofrer danos emocionais?

Psicóloga: Quem trai sofre, mas vamos e venhamos, irá sofrer quando for descoberta.  O que sofre enquanto não foi descoberto, normalmente,  é o que tem  um nível de consciência mais elevado, e trata-se de um sofrimento que o faz pensar, elaborar sua situação atual e chegar a uma decisão. O sofrimento vem desta postura “em cima do muro”, e o empurra para uma tomada de decisão muito mais saudável. 

6) Como a psicoterapia pode ajudar quem traiu ou foi traído a superar a situação?

Psicóloga: A pessoa que foi traída precisa identificar qual a melhor atitude: perdoar ou partir pra frente. Cada caso é um caso. Se ela perdoar estará fazendo isso porque a outra pessoa merece ou porque “precisa” deste relacionamento. Vale a pena engolir este sapo ou este relacionamento sofreu apenas mais um obstáculo entre tantos que passou e que passará ainda? A psicoterapia ajuda a identificar seus valores, suas prioridades e quais as atitudes que fariam bem para sua saúde mental.

No que se refere a pessoa que traiu podemos indicar a psicoterapia  para receber ajuda a entender o porque desta traição. Será que não seria melhor romper de vez o relacionamento atual? Ou será que não há soluções melhores para ter uma vida mais ativa e interessante com o parceiro atual? Entender qual a sua realidade, entender o que o levou a traição, será que ele tem medo de manter um bom relacionamento e está boicotando algo que pode ser muito bom? Estas respostas são fundamentais.

De acordo com um estudo realizado com 12 mil pessoas que cometeram algum tipo de traição nos Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha e Espanha, 83% dos infiéis utilizaram o celular como meio para a infidelidade.
E não é só o uso do celular que assusta, mais da metade dos entrevistados, 51%, também admite que usou serviços como twitter, facebook e whatsapp diretamente do celular para trair, enquanto 15% utilizaram o SMS, 13,6% realizaram chamadas telefônicas, 9,8% o e-mail, 8,6% foram direto para sites de relacionamento anônimos e apenas 2% recorreram a mensagens de voz. Segundo a pesquisa as traições via celular são feitas na solidão do trabalho.

No comments:

Post a Comment