terça-feira, 1 de julho de 2014

GARANHUNS E SUAS CURIOSIDADES - AS FONTES MEDICINAIS DA SUIÇA PERNAMBUCANA

Presidente Juscelino Kubitschek visita Garanhuns em abril de 1959
Gravemente enfermo do fígado, voltei à Garanhuns em 1944, meu médico apontou-me como último recurso a cidade serrana. A água da Serra Branca restaurou-me rapidamente a saúde, sem a ajuda de qualquer medicamento e sem obediência a qualquer dieta. Pude, então, sentir melhor a cidade, os seus ares tão diferentes dos das demais cidades nordestinas; o seu povo acolhedor; o seu "fog" europeu de junho a agosto; a primavera, a nítida primavera de setembro, com as flores rebentando nos jardins; aquela atmosfera, aquele caráter especial de uma cidade que fica para sempre mais ainda em nossa sensibilidade do que mesmo em nossa memória" (José Wamberto Pinheiro de Assunção, imortal da APL).

José Wamberto Pinheiro de  Assunção, nasceu em Agrestina Pernambuco, em 14 de fevereiro de 1915, após os estudos primários em sua cidade, deslocou-se para outros centros, onde também estudou. Formou-se em Ciências Jurídicas e logo foi prefeito de Altinho entre 1935 e 1936.

Trabalhando ainda como advogado, membro do Instituto do Açúcar e do Álcool e representante de Pernambuco no Rio de Janeiro, decidiu, em 1960, se mudar para a recém-inaugurada Brasília, onde viveria até o fim de sua vida. No governo do marechal Humberto de Alencar Castelo Branco foi secretário de Imprensa da Presidência da República.

Em 14 de março de 1967, após exercer vários cargos na administração pública, tornou-se conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal. Após presidir por diversas vezes a corte, se aposentou de forma compulsória em 1985 quando completou 70 (setenta) anos. Membro de diversas entidades, entre as quais, Academia Brasiliense de Letras, Academia Pernambucana de Letras e Associação Nacional de Escritores, publicou diversas obras como Castelo Branco: Revolução e Democracia (1970) e Memorial de Pernambuco - o impeachment no Estado e no Brasil (1984).

Faleceu em 23 de julho de 2002, aos 87 anos de idade, em Brasília, vítima de uma parada cardíaca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário