quinta-feira, 22 de maio de 2014

O GINÁSIO DE GARANHUNS

Cônego Benigno Lira
O Ginásio de Garanhuns, teve no Cônego Benigno Lira, poeta e jornalista, o seu fundador, vindo o mesmo a substituir as antigas escolas paroquiais. Estávamos em 19 de março de  1915.

O Sertão no ano VII, nº 290 de 20/03/1915 insere a seguinte notícia: "Ginásio de Garanhuns - Dirigido por quatro sacerdotes do clero secular nomeados pelo Exmo. Sr. Arcebispo, começara as suas aulas, na próxima segunda-feira, 21 de março, funcionando, por enquanto, no aprazível e confortável Chalet Grossi, junto da Matriz. Este novo estabelecimento de educação proporcionará aos seus alunos, o ensino primário e secundário pelo método mais prático a torná-los aptos aos exames de admissão às diversas faculdades - medicina, engenharia, direito e escola de comércio".

Mais adiante prossegue a nota: "O Colégio terá aulas particulares de música, pintura e um curso prático de línguas, que funcionará à noite, para rapazes". Em outro tópico diz: "O GInásio terá empenho particular na educação moral, cívica e religiosa, poupando, assim aos seus educandos, nas relações sociais de amanhã, os pequenos dissabores de uma formação precária e descuidada que constitui, muitas vezes, os insucessos da vida e decadência dos bons costumes". E termina: "Para maiores informações dirijam-se ao Rvmo. Vigário ou ao encarregado da disciplina interna do Colégio. Padre José Antero".

Mons. Antero, 1º diretor, manteve-se até 1926. Padre Diegues o substitui, por um ano. Em seguida assume o Padre Callou até 1936. Em 1937 é a diretoria entregue ao Padre Antonio Constantino Carneiro. Finalmente, em 1938 passa a ocupar a direção o Padre Adelmar da Mota Valença que permanece até outubro de 1982. Homem de uma resistência física a toda prova, esteve por cerca de 44 anos à frente desde grande educandário de ensino que conta, atualmente (1982) com mais de 2.000 alunos.
"O Sertão de 30/03/1930, publicava a relação de alunos que foram aprovados nos exames de admissão à 1ª Série ginasial. Somente um conseguiu distinção  - Manoel Florentino de Siqueira (Correntes) o restante teve que se conformar com a média 8/5. Abaixo os aprovados: Alberto da Silva Rêgo, Amilcar da Mota Valença, Edson de Lira Paula, Isnaldo Theodoro da Silva, José Alexandre Sobrinho, Mário de Queiroz Fonsêca, Mauro Leite Rodrigues, Manoel Gomes da Silva, Maria Alencar Callou, Maurício Gomes Correia, Maria de Lourdes Dias, Maurício Gomes de Sá, Olga de Melo Oliveira, Paulo Duarte Ribeiro, Pedro Pedrosa, Romildo Alves Leite, Waldemar Claudino de Paiva.

O Ginásio em 15/11/1933 formava a sua segunda turma de bacharelados. Foram os seguintes: Alberto Campo Falcão, Adalberto Branco, Abdon Monte, Aloisio Souto Pinto, Amauri Andrade, Ivo Leitão Filho, Israel Lira, João Vasconcelos, José V. de Assumpção, Marcos Vilela Neto, Orlando Alexandre, Pedro Cupertino Calou, Pandiá de Amorim, Rodrigo Pinto Tenório, Teobaldo de Barros e João G. Pontes.

Em 26/05/1935 Mons. Callou e Ildefonso Lopes (Engenheiro Agrônomo) fundaram uma Escola de Agronomia, com sede no Ginásio, a qual não teve êxito. Os Alunos que fizeram exames para ingressar na referida entidade, após aprovados foram os seguintes: José Bosco, Manoel Lustosa, Abgar Valença, Francisco Barros, Pedro Pedrosa, Paulo Damaso, Carlindo Medeiros, Arlindo Amaral, Joaquim Tenório, José Pontes, Lucilo Cordeiro e Natalício
Valença.

Em dezembro de 1935, terminaram no Ginásio Diocesano o 5º ano ginasial os alunos Alberto da Silva Rêgo, Antonio Alves do Nascimento, Adalberto Vilela e Luís Arcoverde, advogado e Procurador do Estado (aposentado).(Fonte: Livro "Os Aldeões de Garanhuns", de Alberto da Silva Rêgo).

Nenhum comentário:

Postar um comentário