quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

DATAS HISTÓRICAS DE GARANHUNS

Vitorino Alves Monteiro - Conselheiro Municipal
de Garanhuns em 1892.

1534 - Fundação da Capitania de Pernambuco.
1621 - Floresce a Casa da Torre, fundada por Garcia d'Ávila - centro da expansão pastoril.
1637 - A região se povoa por gente branca, que desloca-se  para o interior, fugindo do domínio holandês.
1658 - Origem de Garanhuns com a penetração de brancos e negros. Nicolau Aranha se apropria do local chamado Sítio Garcia, para a criação de gado.
1670 - O Sítio do Garcia que havia sido destruído pelos negros, em consequência da Guerra dos Palmares, passou a chamar-se Tapera do Garcia.
1687/1692 -Extinção na região dos índios Cariris.
1694 - Derrota dos Palmares. Domingos Jorge Velho lutou contra holandeses e os Palmares. A Guerra dos Palmares foi extinta. Os índios e os negros foram desaparecendo.
1695 - A Tapera do Garcia passou a pertencer a Miguel Coelho Gomes e a Simoa Gomes, filho e neta de Domingos Jorge Velho, o Sertanista.
1696 - É exterminado o reduto dos negros.
1699 - São criados os julgados (ou varas), nos quais a região de Garanhuns está incluída.
1700 - Criado e instalado o Distrito Judiciário sob a forma de Julgado, com a denominação de Capitania do Ararobá.
1700 - Criada a freguesia de Santo Antonio do Ararobá, denominada Curato de Santo Antonio do Ararobá.
1704 - Manoel Ferreira de Azevedo compra a Tapera do Garcia.
1705 - Manoel Ferreira de Azevedo toma posse da Tapera do Garcia.
1705 - Morre Manoel Ferreira de Azevedo, esposo de Simoa Gomes.
1729 - Simoa Gomes de Azevedo assume a administração da Tapera do Garcia. Simoa Gomes era analfabeta mas muito piedosa e tinha coragem e tino administrativo.
1729 - Construção da Igreja dedicada a Nossa Senhora da Conceição. Com frente para o Oeste, localizada na atual Av. Santo Antonio, mais ou menos na altura do Banco do Brasil, substituindo a Capelinha então demolida. Construção também do cemitério, onde hoje é o Colégio Santa Sofia.
1741 - A região do Ararobá foi tomada pelo Governador da Província Cap. João Fernandes Vieira, que à vendeu toda a parte e o que sobrou, doou a Confraria de São Felipe Nery.
1752 - Simoa Gomes faz doação  de uma considerável quadra de terras, a Confederação das Almas, com patrimônio, sendo por centro a Igreja Nossa Senhora da Conceição.
1756 - Simoa Gomes ratifica através de Escritura Pública, a doação das terras que fizera à Confraria das Almas.
1762 - A Freguesia de Santo Antonio do Ararobá, criada em 1700 sob forma de Curato, passa a Freguesia de Santo Antonio de Garanhuns.
1762 - Tapera do Garcia deixa de ser sede da Capitania do Sertão de Ararobá e passa a denominar-se Povoação de Santo Antonio de Garanhuns.
1762 - A Povoação de Santo Antonio de Garanhuns, passa a ser  sede da Freguesia de Santo Antonio de Garanhuns.
1763 - Morre Simoa Gomes.
1766 - Mediante Carta Régia, a Província cria vilas.
1777 - Por Carta Régia de 1776, cria em 10.01.1777, o Julgado de Garanhuns.
1786 - Por ato da Mesa de Consciência e Ordem, o CURATO passa a VIGARIATO, tendo como primeiro Vigário o Padre Fabiano da Costa Pereira.
1788 - Neste ano a população de Garanhuns era em média 15.800 habitantes.
1802 - O Povoado de Santo Antonio de Garanhuns deixa de ser Curato, tendo por curas os Padres: Pedro Tavares da Silva Sarmento e João da Silva Fonseca, teve como primeiro vigário o Padre fabiano que passou de Cura a Vigário.
1809 - Conta-se que em 1809 - ano de seca e fome, houve um abalo sísmico bastante forte.
1811 - A povoação de Santo Antonio de Garanhuns, por Carta Régia, foi incluída entre as demais que passaram à VILA (10.03.1811).
1813 - Inauguração da Vila de Santo Antonio de Garanhuns.
1818 - A região integrada por Garanhuns perde Altinho, Panelas, Jurema, Quipapá, Maraial, Cupira, Angelim, Lagoa do Ouro, São Caetano, Caruaru, Catende.
1820 - Funcionava em Garanhuns a escola particular do Professor Estevão Soares Leite Albuquerque.
1820 - Instalado o telefone na estação GWBR.
1833 - Garanhuns passa a integrar a Comarca de Brejo da Madre de Deus.
1836 - Desmembrada da Comarca de Brejo da Madre de Deus, é criada a Comarca de Garanhuns, de acordo com Lei Provincial n° 00022.
1836 - São novamente anexados à região de Garanhuns, Inajá, Buíque, Pedra, Sertânia, parte de Canhotinho.
1837 - Instalada oficialmente a Comarca de Garanhuns, toma posse o primeiro Juiz, Dr. João Pereira de Carvalho.
1839 - Criado o município de Bonito que se desmembrou de Garanhuns, desmembraram-se também Altinho, Panelas, Lagoa dos Gatos. Ratificando: desmembra-se São Joaquim do Monte, Agrestina e parte de São Caetano.
1854 - Foram desmembrados: Inajá, Buíque, Pedra e Sertânia.
1855 - Início da construção da Igreja(hoje Catedral), pelo Padre Nemésio de São João Gualberto.
1855 - Contavam-se na Vila 156 casas. O Padre Nemésio de São João Gualberto começa à construção da nova igreja.
1855 - O Juiz de Direito Dr. José Bandeira de Melo sequestra a quadra das terras doadas por Simoa Gomes à Confraria das Almas e incorpora toda a quadra ao patrimônio nacional.
1859 - É inaugurada a matriz de Santo Antonio (hoje Catedral de Garanhuns).
1860 - Desmembram-se de Garanhuns, São Bento do Una, Lajedo, Canhotinho e parte de Angelim.
1861 - Bom Conselho se desmembra de Garanhuns.
1869 - Em obediência a Lei 1.423, Correntes se separa de Garanhuns.
1872 - Reforma da Igreja (hoje Catedral), por Frei Caetano de Messina Sobrinho.
 1872 - Começou a negociar em Garanhuns, o Cel. Joaquim Alves Barreto Coelho, no local onde funcionava a Empresa S. Moraes. Era um conceituado cidadão, cujos filhos (todos ilustres), eram: Elisa Coelho (professora), Adelaide, Everaldo, Arlindo, Dulcina (pintora), Juca e Lavínia (intelectual e pianista).
1878 - O Barão de Nazaré - Silvino Guilherme de Barros, visita a Vila de Garanhuns e propõe ao Presidente da Província de Pernambuco, a sua elevação à cidade.
1879 - O Presidente da Província - Bacharel Adolfo de Barros Cavalcanti de Lucena- sanciona a Lei nº 1.309 que eleva a Vila de Santo Antonio à categoria de cidade.
1882 - Construção da Igreja de Brejão que era na época um povoado muito florescente, com suas casas alinhadas supervisionado pelo cidadão Francisco Carvalho, Capitão do 8º Corpo do Batalhão.
1878 - Funcionava a Escola Pública do Professor Manoel Clemente da Costa Santos.
1886 - Joaquim e José Ferreira Leal montam o primeiro locomóvel destinado ao beneficiamento do algodão.
1886 - Visita do Conde d'Eu, genro de D. Pedro II em cuja comitiva encontrava-se o Dr. José Mariano Carneiro da Cunha.
1887 - Com a chegada do primeiro trem inaugurou-se em Garanhuns, um ramal da estrada de ferro procedente de Palmares.
1887 - Inauguração da estrada de ferro, decreto do Presidente da Província Pedro Vicente de Azevedo, chegando à Garanhuns o primeiro trem.
1890 - Garanhuns é governado pela Intendência composta de sete membros.
1891 - Demolida a primeira igreja de Garanhuns da Avenida Santo Antonio. Os tijolos fora para construção do Cemitério.
1891 - A Intendência foi deposta.
1891 - Palmeirina desmembra-se de Garanhuns se eleva à categoria de município.
1891 - É totalmente demolida a primeira igreja de Garanhuns e os tijolos são aproveitados na construção do cemitério, edificado com uma capelinha, onde hoje é o Parque dos Eucaliptos.
1892 - Realiza-se a primeira eleição para preenchimento de cargos do governo municipal. Foram eleitos: Prefeito o Major Antonio da Silva Souto; Sub-Prefeito Capitão Napoleão Marques Galvão; Conselheiros: Agostinho José de Gois, Antônio Paes da Silva Souto, Augusto Cesário de Araújo, José Alves da Silva Tororó, Pascoal Lopes Vieira de Almeida e Vitorino Alves Monteiro.
1894 - Chegada em Garanhuns dos primeiros protestantes da Igreja Presbiteriana vindo do Recife, entre eles o Dr. George Butles.
1895 - Funciona a primeira escola pública da Professora D. Maroca Jardim.

1898 - Em Brejão funciona a primeira escola pública.

Um comentário: