sábado, 30 de novembro de 2013

HISTÓRIAS DO BAIRRO DO MAGANO - GARANHUNS--PE

Vista de Garanhuns feita do Avião Garoto em 1928, Fonte Iba Mendes.

Na década de 60, o delegado de polícia da cidade de Garanhuns era o Capitão Pedro Rodrigues. Na sua administração, ficou determinado que qualquer evento, fosse particular ou público, teria que tirar uma licença de delegacia para o seu livre funcionamento.

No bairro do Magano, exatamente no alto da Rua do Magano, morava um cidadão conhecido por Nego Amaral, ele era viciado no jogo de baralho e costumava promover todo final de semana um forró. Sabendo que necessitava da licença, se dirigiu a delegacia e conseguiu a dita. Só que continuou com a festa animada durante 2 anos.

A vizinhança incomodada com a falta de respeito, fez uma denúncia, pois as mulheres participantes do forró, já dançavam peladas. O delegado reuniu os policiais e foram ao local. Bateram na porta que estava fechada e alguém perguntou: Quem é? O delegado respondeu: É a polícia. Foi um corre-corre pelos fundos da casa, ficando apenas o Nego Amaral.O Capitão perguntou: Com que autorização você está promovendo esta festa? E Amaral respondeu: Pois não seu Pedrinho, aqui está e apresentou-lhe uma licença tirada à 2 anos passados, então o delegado disse: Esta licença está vencida! E Amaral respondeu: Seu Pedrinho, para mim, uma licença assinada pelo senhor, vale por todo tempo. O delegado nada pode fazer, apenas fechou a casa noturna, e não prendeu o Nego Amaral. São coisas do passado...(Fonte: Livro "História do Magano - Garanhuns-PE" de Lamartine Peixoto Melo).


Nenhum comentário:

Postar um comentário