segunda-feira, 11 de março de 2013

GARANHUNS DE VILA À CIDADE

Gonzaga de Garanhuns

Gynásio Diocesano em 1927




Garanhuns quando surgiu
Pra se dizer a verdade
Não é contado da data
Que se elevou-se a cidade
Mas quando passou a vila
É essa a realidade

1811
Pela Carta Régia então
Isso aos 10 do mês de março
Deu-se sua elevação
De povoado pra vila
Bem feita com precisão

Por Vila de Santo Antônio
De Garanhuns na verdade.
Ficou sendo conhecida
Com toda realidade
Pelo desenvolvimento
E mais autencidade

Após mil oitocentos
E onze é que é contada
A data em que Garanhuns
Se firmou bem na estrada
Dessa data por diante
A vila foi promulgada

O Governador da época
De Pernambuco não minto
Da época era o atual
O Sr. Caetano Pinto
De Miranda Montenegro
Que elevou o recinto

Conhecida como vila
De Santo Antonio ficou
E a vila foi crescendo
De crescer nunca parou
Depois de 68
Anos cidade tornou

Mais tarde por incentivo
E muita boa vontade
Do Barão de Nazaré
Que sugeriu de verdade
De elevar Garanhuns
A carácter de cidade

Era Silvino Guilherme
De Barros senhor de fé
Deputado provincial
O seu nome tá de pé
O famoso cidadão
O barão de Nazaré

Em um oito sete nove(1879)
Aos 04 de fevereiro
Foi elevada a cidade
Este torrão agresteiro
Tendo mais um município
Em nosso chão brasileiro

Garanhuns não teve data
Digo de emancipação
Porque nunca pertenceu
A outra cidade não
Ou a outro município
De nenhuma região

E também de região
Pois eu falo abertamente
A fundação da cidade
Deu-se gradativamente
Essa por Simôa Gomes
Bem assim foi realmente

Desde pois a doação
A irmandade doada
a irmandade das almas
Que esta terra foi dada
Dai começou aos poucos
A cidade ser fundada

E assim foi se elevando
De sítio pra povoado
De povoado pra vila
O lugar foi elevado
Até chegar a cidade
O título que foi lhe dado

Para se explicar melhor
Fundação nunca se deu
Também emancipação
Dela nunca se ocorreu
Pois que a outro município
Garanhuns não pertenceu

Em mil e oitocentos
Setenta e nove e mais nada
Ao caracter de cidade
Garanhuns foi elevada
Emancipada não foi
E nem tão pouco fundada

Agora elevada sim
A verdade tá de pé
Nossa cidade até hoje
Ela sempre foi e é
Graças o forte da lei
E ao Barão de Nazaré

Antônio da Silva Souto
Foi seu primeiro prefeito
Em três anos de gestão (1892-1895)
Fez um trabalho direito
Pela sua dignidade
Seu trabalho foi aceito

Foi criada a diocese (02/08/1918)
D. Moura foi o primeiro
Bispo que aqui chegou
E mostrou ser verdadeiro
Pregador do evangelho
De Jesus Cristo altaneiro

Garanhuns sempre cresceu
Pois todos fiquem sabendo
A mesma pelo progresso
Pois foi se desenvolvendo
E cada dia que passa
O progresso vai crescendo

A cultura do café
Se expandiu na região
Cebola também mamona
Erva doce e algodão
A pecuária era farta
Milho, mandioca e feijão

Veio a luz de Paulo Afonso(Década de 50)
Que iluminou a cidade
O trem já tava algum tempo (1887)
Que trouxe prosperidade
Trazendo força e progresso
Pra essa localidade

Surgiram também colégios
Para os jovens educar
Surgiu o Colégio XV (1900)
De grandeza exemplar
Também o Santa Sofia (1912)
Colégio espetacular

Surgiu o Diocesano (1915)
Com grande potencial
O outro que surgiu foi
O ginásio do Arraial (1956)
Pois estes quatro colégios
Dera o passo inicial

Garanhuns tá bem servida 
No setor de educação
Com colégios e escolas
E faculdades padrão
Que enfatiza seu povo
Com atual formação

Como também noutras áreas
As de turismo e cultura
E na comunicação
Garanhuns tá na cultura
Por isto nossa cidade
É uma beleza pura

Nos seus grandes festivais
Como o festival de inverno
E o festival do JAZZ
Esse festival moderno
Na história da cidade
Tão escrito no caderno

Seus belos pontos turísticos
Cada qual mais belo e fino
Seu belo nascer do sol
No alvorecer matutino
Bem mais belo seu ocaso
No entardecer vespertino

As suas flores tão belas
Coloridas perfumadas
As belezas graciosas
Das mulheres são formadas
São belezas ofuscantes
A elas depositadas

Garanhuns sempre cresceu
Em progresso e bem estar
Esta cidade serrana
É um modelo exemplar
Suas águas cristalinas
E suas sete colinas
Fazem em tudo admirar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário