terça-feira, 21 de agosto de 2012

RECORDANDO


Firmo de Santana

Acordes de violões nas ruas sombrias...
As serenatas que já vão distantes...
Valsas que embeveciam... As melodias
Que não esqueço, nem os priscos amantes.

O saudoso "Xixi" e seus delirantes
Sopros no saxofone. Que magias
De pulcra execução saiam constantes
Do almo Mago naqueles longes dias.

José "Fogueteiro" e "Chico Bombardão",
Ramalho, o saudoso Alfredo Leite,
Quatro titãs do nosso bom tempão.

Recordar essa gente é ter canteiros
De prazer, de boa música, o deleite
De escutar uma endecha de CALHEIROS.
(Foto do Livro "Os Aldeões de Garanhuns" de Alberto da Silva Rêgo. Alfredo Leite Cavalcanti e sentado o Poeta Catulo da Paixão Cearense, ano de 1938).

Nenhum comentário:

Postar um comentário