domingo, 3 de junho de 2012

O Trabalho


José de Vasconcelos Pontes (em memória) Julho de 1983

A maior ventura do ser humano está no trabalho. O trabalho edifica, constrói, educa, diverte. Sentenciava o conhecido escritor Ramalho Ortigão: "O mais seguro meio de cada um amar verdadeiramente a Pátria é simplesmente amar a sua profissão". Subtendendo-se, naturalmente, que essa profissão seja honrada. Patriotismo é cada um trabalhar no ofício com fé. O trabalho honesto traz tranquilidade e uma vida feliz de toda família. O amor ao trabalho, por mais simples que seja, vivifica, transborda a alegria, o acontecimento. Significa uma dádiva para aqueles que compreendem estar servindo ao próximo.

Euclides da Cunha escreveu "Os Sertões" num ranchinho de zinco, à margem do rio Prado, nos momentos que lhe dispensava a tarefa de construir uma ponte sobre esse rio. O útil ao agradável, vivemos sempre a depender do outro, por mais simples que seja, participa, comunga do mesmo ideal. Somos um conjunto harmonioso com a mesma finalidade: a sobrevivência, a nossa alimentação depende do pobre que no sol causticante planta a semente, aquele maltrapilho, desconhecido, rejeitado que não frequenta "sociedade" não participa da vida ativa de uma cidade, não aparece nos jornais e faz parte do sustentáculo do Estado. Parece um paradoxo, mas é a realidade... o sapato, a roupa, a comida, tudo isso passa por um processo difícil, de lutas e sacrifícios para que possamos conjuntamente dentro de um mundo alegre, viver a vida; não vegetar.

Precisamos de todos por mais humildes que seja; o leite, o café, são saborosos. Passam por processos fabricados por humildes, e chegam as nossas mãos tão perfeitos. Somos unidade em comunidade. Somos povo sem distinção de raça ou de cor... mas, destaques surgem por toda parte, desconhecendo o valor de muitos. Somos humanos com defeitos e virtudes, fraqueza e coragem, luta e sacrifício. Dependemos de todos porque formamos a corrente coesa trabalhando com a mesma finalidade; a sobrevivência.

O trabalho por mais simples que seja tem o seu valor. Precisamos incentivar o simples para que ele sinta a sua importância como homem honesto e trabalhador. Recordamos Rui Barbosa: "O patriotismo praticamente consiste sobretudo, no trabalho".

Vamos nos habituar ao trabalho, sinta que de seus esforços depende o progresso e a esperança do País. Viva ocupado e sinta o proveito daquilo que manuseias. Se estiveres cansado, pára um pouco ou muda de atividade, tudo voltará ao normal. Somos simples fragmentos dispersos, procurando uma associação. Pense em areia movediça, equipare os fragmentos, perceba de um prisma diferente. Analise, raciocine, medite um pouco... será que entendes? faça um retrospecto e veja que tudo aquilo é complexo; desigualdade.

Trabalhe sempre com amor e dedicação, faça dele a sua vida e seu divertimento. Você precisa deixar vestígios de sua passagem. Procure fazer tudo conscientemente, seja responsável pelos seus atos, não tente "tapar o céu com a peneira", pois você sabe distinguir o certo do errado. Fique tranquilo com sua consciência, pequeno fragmento indispensável, pois você nasceu para cumprir sua missão. Com amor e dedicação, coragem acima de tudo acreditar, ter a certeza e confiança no amanhã.(Foto: Gynásio Diocesano em 1927).

Nenhum comentário:

Postar um comentário