sábado, 23 de junho de 2012

O SOL


Lauro Cysneiros

Quanto mais tempo alcança, mais se expõe radioso,
Envolvendo o arrebol de nuvens cor-de-rosa,
Enquanto mais flameja, ardente, majestoso,
Erguendo a original umbela portentosa.

Levanta-se gentil, do leito aparatoso
Ornando a matinal paisagem primorosa,
Banhando a fronte augusta no regato airoso,
Reforçando o vigor da terra dadivosa.

Impávido, fulgente, luminar, perfeito,
Fornece luz ao mundo, ao se afastar do leito
Até quando declina, exausto, no arrebol.

Ninguém que o assemelhe em formação tamanha,
A subir e a descer montanha por montanha,
Levando, a cada gruta, a luz do seu farol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário