quinta-feira, 17 de maio de 2012

A Lenda do "Carro-de-boi-encantado".


Waldimir Maia Leite

Vítima de Varíola, faleceu em Garanhuns, em 1890, a viúva do Dr. Luís Afonso de Oliveira Jardim, ex-Juiz de Direito da Comarca, dona Secunda de Souza Jardim. Num caixão, confeccionado com chapas de ferro, Dona Secunda foi, então, conduzida, à noite, para o cemitério, num carro-de-boi. O carreiro, dias depois, também morria. E hoje, em Garanhuns, a horas mortas e de Lua, escuta-se o fantástico rodar do "carro-encantado":

- "Acabei de ouvir, agorinha mesmo.

Primeiro ali pelas bandas da Boa Vista; depois, o canto mudava: ia pra rua d'Areia".

Esse o testemunho de inúmeras pessoas.

O canto noturnal sobrevive, na cidade.

(Ouvio-o, juro por Deus, quando criança; senti o passar do "carro-de-boi-encantado", nas minhas angustiadas noites infantis, na praça João Pessoa. Me arrepio todo, ainda hoje!).

Quem não o ouve, agora, quando a neblina fecha as pálpebras para o umedecido adormecer da cidade?

- "Menino, vai dormir, menino, olha o "carro-de-boi-encantado"!

A intimidação de Dona Lalu, minha mãe, não me perturbava: o canto ia comigo, eu o acompanhava.

Garanhuns em 1890 uma cidade então invadida pela varíola.

"O Governo do Estado de Pernambuco determinou, então, à Intendência a nomeação de uma pessoa idônea para ir ao Recife verificar como se fazia a inoculação da linfa vacínica e de lá trazer quantidade suficiente de todos os habitantes. Foi nomeado o Dr. Miguel Cursinho Vila Nova que muito bem se desincumbiu da missão".

Pois Garanhuns estava "em tempo de peste".

Sou aqui um narrador: às caladas da noite, quando o Magano treme de frio, encolhe-se entre as sete bíblicas colinas e repousa o alto dos seus 1.056 metros de altitude no ombro de escuro horizonte, Dona Secunda de Souza Jardim vai ser sepultada.

Num carro-de-boi, o vento sibila, em marcha fúnebre. E a lenda então ficou, varando o tempo:

- "Pois eu acabei de ouvir, agorinha mesmo, o "carro-de-boi-encantado"! Primeiro foi lá pelas bandas da Boa Vista; depois foi indo, foi andando com quem vai pros lados da rua d'Areia"!

- "Você ouviu?"

- "Sim!"

- "Eu também!"

- "E eu!"

- "Ele canta como quem chora!"

- "As vezes para, com quem respira, cansado!"

- "Me arrepio toda!"

- "Menino, vai dormir, menino, olha o "carro-de-boi-encantado" que vai te pegar!"

(Ilustração de Salomão Jalfim Filho).


Nenhum comentário:

Postar um comentário