sábado, 7 de abril de 2012

JESUS CRISTO NO SERMÃO DA MONTANHA


Como houvesse uma multidão que o queria ouvir, Jesus subiu a uma colina nas cercanias de Cafarnaum e pôs-se a ensinar àqueles que o seguiam, dizendo:
Bem-aventurados os humildes e despojados, porque deles é a riqueza de Deus.
Bem-aventurados os que recusam a violência, porque eles herdarão o mundo.
Bem-aventurados os que não desesperam na aflição, porque eles serão consolados.
Bem-aventurados os que lutam pela justiça como se luta pela comida e pela água, porque sua fome e sede serão saciadas.
Bem-aventurados os que se esforçam para perdoar sempre, porque nenhuma culpa lhes ficará sobre os ombros.
Bem-aventurados os que não corrompem seu coração, porque verão a pureza de Deus.
Bem-aventurados os que buscam e promovem a paz, porque serão como filhos de Deus.
Bem-aventurados os que são perseguidos por fazer o bem, porque serão glorificados diante de Deus.
Bem-aventurados sede quando sofrerdes injúrias, mentiras, difamações e ataques por praticar o que vos ensinei.
Alegrai-vos, não desanimeis, porque sereis reconhecidos na eternidade.
Da mesma forma os profetas, que viveram antes de vós, foram desacreditados e perseguidos.
Vós sois o sal da terra.
Mas se o sal perder seu próprio sabor e se tornar insosso, que se fará com ele?
Para nada servirá e as pessoas o atirarão fora, por inútil.
Vós sois a luz que clareia o mundo.
Não se pode ocultar uma cidade iluminada no alto da montanha.
Também não se acende uma lâmpada para escondê-la debaixo da mesa ou dentro do armário.
Ao contrário, nós a colocamos em lugar onde possa oferecer luz a todos na casa.
Assim portanto, que vossas obras sejam como lâmpadas que a todos iluminem.
E, ao ver tais obras, as pessoas sejam levadas a reconhecer a presença de Deus.
Não vim mudar os mandamentos nem anular o que disseram os profetas.
Não vim revogar, mas viver a lei de Deus.
Nenhum ponto e nenhuma vírgula dos mandamentos serão omitidos até que minha missão se cumpra.
Digo que aquele que desprezar mesmo o menor desses mandamentos e instigar os outros a fazê-lo será pequeno diante de Deus.
Aquele que praticar e ensinar esses mandamentos será grande diante de Deus.
Eu asseguro que se a vossa justiça limitar-se apenas a cumprir a legislação e as normas, os artigos e parágrafos e a salvar as aparências, Deus não vos será revelado.
Ouvistes sempre dizer: Não matarás; quem matar deverá responder por seus crimes nos tribunais.
Todavia, eu digo que também o ódio e o desprezo - ainda que manifestados em palavras - serão julgados.
Portanto, antes de cumprir promessas, fazer devoções, acender velas ou ter um gesto de filantropia, pergunta-te se teu próximo não foi prejudicado por ti.
Antes de entregar tua oferta, vai pedir-lhe desculpas.
Depois oferece tua dádiva e tua piedade.
Reconcilia-se com teu desafeto enquanto estás junto dele e ele perto de ti, para não acontecer que a reparação que lhe deves tu a tenhas de dar no julgamento, quando então ficarás livre somente depois de pagar toda a tua culpa.
Ouvistes o que foi ensinado:
Não praticarás adultério.
Digo porém: quem olha para uma mulher com o propósito de trair já cometeu adultério em seu coração.
Portanto, se teu olho direito te escandaliza, poupa teu olhar.
Pois é melhor renunciar à vista do que entregar o corpo inteiro às trevas.
E se tua mão direita te escandaliza, não a utilizes, pois é preferível privar-te da mão do que entregar o corpo inteiro à escravidão.
Foi dito: àquele que rejeitar sua mulher, dê-lhe documento de divórcio
Eu, porém, vos digo: todo aquele que abandona sua mulher, a não ser por motivo de prostituição, a expõe ao adultério; e aquele que se une à mulher adúltera também é adúltero.
Ouvistes o que foi dito aos antigos:
Não jurarás falso, cumprirás teus juramentos para com o Senhor.
Eu porém, digo: não jureis nunca sem motivo justo, nem pelos céus em nome de Deus, nem pela terra em nome dos homens, nem por nada de sagrado.
Nem mesmo jureis por vossa cabeça, pois não tendes sequer o poder de controlar os fios brancos ou pretos de vossos cabelos.
Se é sim, dizei sim.
Se é não, dizei não.
Ouvistes o que foi dito: Olho por olho e dente por dente.
Eu, porém, vos digo: não revideis ao mau com maldade.
Se vos agridem e humilham, não guardeis no rosto a marca da ofensa.
Àquele que disputar convosco o pouco que tendes, mostrai-vos desprendidos e acima de mesquinharias.
Se alguém vos obriga a um sacrifício, sede generosos e pacientes. Se alguém vos pede, oferecei o que tendes; e se estiver em vosso alcance, não volteis as costas a quem necessita pedir-vos emprestado.
Ouvistes o que foi dito: Amarás teu próximo e odiarás teu inimigo.
Eu porém, vos digo: amai vossos inimigos.
Lembrai-vos de pedir a Deus o bem também aos que vos perseguem; porque é assim que vos tornais filhos de Deus, que é Pai, e que faz nascer o sol igualmente sobre bons e maus e cair a chuva sobre justos e injustos.
Se amais aos que vos amam, que recompensa tendes?
Os interesseiros e oportunistas também fazem isso.
Se quereis bem e desejais a felicidade apenas a vossos amigos fraternos, não há nisso nenhum mérito.
Não é isso que se faz no relacionamento social comum?
Entretanto, deveis buscar o aperfeiçoamento constante, como vosso Pai é perfeito.
Tomai cuidado para que as obras e a justiça que praticais não sejam pretexto para aparecer perante os olhos das pessoas.
Se isso acontecer, não haverá nelas nenhum mérito perante os olhos de Deus.
Por isso, quando derdes ajuda ou auxílio a alguém, não espalheis o fato, nem contei vantagens, nem façais propaganda de vosso gesto, como agem aqueles que buscam elogios e criam uma boa imagem em torno de si.
Na verdade, os que querem apenas distinguir-se já estão pagos e recompensados com a fama que conquistam.
Vós, porém, quando socorrerdes uma pessoa, fazei-o sem alarde, com discrição e desinteresse, de sorte que vossa mão esquerda não saiba o que faz vossa mão direita.
O Pai, que vê o que está oculto no coração, vos dará o valor devido.
Ao orar, não queirais parecer devotos, nem façais exibição de piedade, para que as pessoas que vos vejam digam que sois gente boa e de bem.
Em verdade, digo que quem age assim já é recompensado por sua vaidade e vanglória.
Mas tu, quando rezares, recolhe-te dentro de ti mesmo, como se estivesses num quarto fechado, e pede que apenas o Pai te veja, pois ele enxerga o fundo do coração e te atenderá.
Em vossas preces não repitais as palavras maquinalmente, sem senti-las, como fazem aqueles que imaginam ser tanto mais ouvidos quanto mais longo for o palavreado.
Não sejais como eles, porque vosso Pai sabe do que tendes necessidade antes mesmo de pedirdes as coisas.
Orai desta maneira:
Pai nosso, que estais no céu, santificado seja o Vosso nome, venha a nós o Vosso reino, seja feita a Vossa vontade assim na terra como no céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje.
Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido.
E não nos deixeis cair em tentação, mais livrai-nos do mal.
Se perdoardes às pessoas as falhas que elas têm, vosso Pai também vos perdoará; mas se não oferecerdes vosso perdão, não estareis em condição de receber o perdão de Deus.
No jejuar, não assumais um ar de sacrifício, como fazem os hipócritas que desfiguram o rosto para que seu jejum seja notado pelas pessoas.
Eu vos digo que eles recebem sua recompensa ao ser observados.
Tu, porém, quando jejuares, penteia os cabelos e lava o rosto, para que as pessoas não saibam que fazes jejum, mas apenas o teu Pai, que está presente em segredo.
E o Pai, que vê o que está oculto, te retribuirá.
Não façais de vossa vida uma acúmulo de riqueza e bem-estar, que são passageiros e podem ser dilapidados e destruídos.
Acumulai tesouros de boas obras, que nem a traça e a ferrugem corroem, nem os assaltantes carregam.
Onde colocardes o valor de vosso tesouro, aí estará vosso amor.
A luz do corpo é o olho.
Se teu olho não tiver malícia, todo teu corpo refletirá pureza; mas se teu olhar se corromper, todo teu corpo se abscurecerá.
Pois se a luz que há em ti são trevas, quão grandes não serão as próprias trevas.
Ninguém pode ter como patrão o bem e o mal e servi-los igualmente ao mesmo tempo.
Ou estima um e desserve o outro, ou se apega ao primeiro e desatende ao segundo.
Não podeis servir a Deus e ao egoísmo do dinheiro.
Por isso vos digo: não vos inquieteis com a vossa vida, com o que haveis de comer, com o vosso corpo, com o que tereis para vestir.
Não é a vida mais importante que o alimento; e o corpo, mais que a roupa?
Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, não guardam em celeiros.
No entanto vosso Pai as alimenta.
Não valeis vós mais que os pardais e bem-te-vis?
Quem dentro vós, por mais que se preocupe e aflija, pode prolongar por pouco que seja o tempo de sua vida?
E por que preocupar-vos com as roupas que tereis para vestir?
Aprendei com os lírios do campo.
Vede como crescem; e no entanto não trabalham nem tecem.
Todavia, nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles.
Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã será cortada e queimada, não fará ele muito mais por vós, homens fracos na fé?
Portanto, não vivais preocupados dizendo:
Que iremos comer?
Ou, que iremos beber?
Ou, que iremos vestir?
Quem não crê é que vive preocupado excessivamente com isso.
Deus que é Pai, sabe de vossas necessidades.
Buscai, em primeiro lugar, praticar no mundo os mandamentos do Pai e sua justiça.
E tudo o mais vos será dado.
Não vos preocupeis, pois o dia de amanhã.
O amanhã terá outras preocupações.
Bastam para cada dia as dificuldades desse dia.
Não julgueis para não serdes julgados.
Os juízos que aplicardes aos outros serão aplicados a vós.
Com as medidas com que medis sereis medidos.
Por que reparas no cisco no olho de teu irmão e não percebes a farpa que está encravada no teu?
Como poderás dizer a teu irmão:
- Deixa-me tirar esse cisco do teu olho
- quando mal podes enxergar com farpa na tua vista?
Falso, limpa primeiro teus olhos para que possas enxergar bem e tirar o cisco do olho de teu irmão.
Assim como as carnes que eram consagradas no templo não deviam ser atiradas aos cães; assim como não oferecem pérolas aos porcos no chiqueiro, para que não sejam confundidos com lavagem, o que envolve a fé deve ser tratado com respeito.
Pedi e vos será dado; buscai e achareis; batei a porta e vos será aberta.
Pois todo o que pede, recebe; o que busca, acha; e o que bate à porta, entrará.
Se vosso filho vos pedir uma fatia de pão, quem de vós lhe dará uma pedra?
Se o filho pedir um pedaço de peixe, qual o pai que lhe dará uma serpente venenosa?
Ora, se vós, que sois imperfeitos, atendeis aos pedidos de vossos filhos, muito mais o fará vosso Pai que sabe do que necessitais.
Tudo o que quereis que as pessoas vos façam, fazei-o vós a elas.
Esta é a Lei e o ensinamento dos profetas.
Há dois caminhos.
Um é amplo e fácil, sua porta é larga, e conduz às trevas e à escravidão.
Muitos são os que caminham por ele.
Outro é apertado e dificultoso, sua porta é estreita, e conduz à vida.
São poucos os que o encontram.
Preferi a porta estreita.
Tomai cuidado com os falsos profetas, que iludem pela aparência.
Vós os conhecereis por suas obras. Não se colhem uvas dos espinheiros, nem os cardos dão figos.
A árvore boa dá frutos bons.
A árvore má dá frutos ruins.
A árvore boa não pode dar frutos ruins, da mesma forma que a árvore má não pode dar bons frutos.
Se uma árvore frutífera não dá bons frutos, ela é inútil.
Assim, é pela qualidade de seus frutos que conhecereis os profetas verdadeiros.
Nem todo aquele que vive invocando o nome de Deus verá sua face, e sim aquele que realiza a vontade do Pai que está no céu.
Muitos me dirão no dia final: Senhor, Senhor, não foi em teu nome que profetizamos, discursamos, expulsamos demônios e fizemos coisas miraculosas?
Então eu lhes direi:
Nunca vos conheci.
Afastai-vos de mim, vós que praticastes a injustiça.
Aqueles que ouve estas minhas palavras e as pratica é como um homem sensato que constrói sua casa sobre a rocha.
Cai o temporal, vem a enchente, sopram ventos, rola a enxurrada, mas a casa firme com os alicerces na pedra.
Aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica é como um homem temerário que ergue sua casa sobre a areia.
Vem a chuva, sobem as águas, passa a enxurrada, sopra o vento, e a casa tomba, com fragor.
Quando Jesus acabou de falar estas coisas, a multidão estava extasiada, porque Jesus ensinava com a autoridade de que vivia o que pregava.
Ao descer da montanha, muitas pessoas o seguiram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário