FESTIVAL VIVA DOMINGUINHOS

segunda-feira, 2 de abril de 2012

CEM ANOS DE MONSENHOR ADELMAR



Gonzaga de Garanhuns

1908
Esse ano decorria
Aos 04 do Mês de Julho
Uma criança nascia
Trazendo para seus pais
Muita paz e alegria

Esse lar se encheu de benção
Com a vinda desse menino
Esse menino Adelmar
Que da vida sem destino
Fora traçado do alto
Num ambiente tão fino

O saber e a educação
Dos pais que souberam dar
Não coube somente a ele
Nessa reta singular
Como também coube aos outros
O padrão de educar

Foi um autêntico bancário
Na Bahia trabalhou
Mas a sua vocação
Que ele quis e abraçou
Foi a de ser sacerdote
Que ao nascer Deus lhe mostrou

Um sacerdote fiel
A toda sua vocação
De um sacerdote mestre
Que demonstrou sua ação
Que soube levar a frente
Aos jovens educação

Por um colégio altaneiro
Um colégio renomado
Um colégio talentoso
Um colégio agraciado
Um colégio de conceito
O Diocesano amado

O exemplo de bons cristãos
Apegados a Maria
A Gloriosa Mãe Santa
No orar do dia-a-dia
Para suas vocações
Seguirem com garantia

Nasceu um forte menino
No lar santo e abençoado
Desde de sua infância
Foi um menino educado
Obediente aos seus pais
No que lhe era ordenado

Tornou-se adolescente
Firmou-se na oração
Dedicou-se aos estudos
Até sua formação
Formação religiosa
A qual deu sua atenção.

1908!
2008 chegou
São cem anos desse ícone
Que Deus nos presenteou
Cem anos em nossa história
Que o tempo nos contou

Desse talento infindo
E o seu nome potente
Conhecido em toda parte
Pelo seu gesto atraente
E o exemplar sacerdote
Que deixou sua semente

Sua semente de força
E de respeito exemplar
A sua maior semente
Foi a semente de amar
Nestes cem anos corridos
Na vida bem decorridos
Do Monsenhor Adelmar

Homenagem do Poeta, Cordelista e Mestre de Reisado, Gonzaga de Garanhuns ao Centenário de Nascimento do Mons. Adelmar da Mota Valença.