Friday, April 27, 2012

CASTELINHO


Profº Ívison dos Passos Martins

Se não era de areia,
Porque desmoronou?
Não foram os cruzados,
Nem mesmo um soberano
de terras distantes
Que o reduziram
a um montão de escombros,
Tampouco foram as ondas do mar,
Nem o vento impetuoso
Que o levaram embora.
Infelizmente, alguém pisou no castelinho,
apagando parte de nossa história.
Só me resta, agora,
munido de meu baldezinho
carregado com a areia da memória,
misturada com as águas das lágrimas,
que por ele derramei, reconstruí-lo
em minha praia de lembranças.

(Pisaram no Castelinho entre 1993 e 1996).





1 comment:

  1. Olá, meu amigo! Fico lisonjeado com a publicação de minha poesia em seu blog. Muito obrigado! Abraço!

    ReplyDelete