quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

MAIS DE 500 EMPREGOS SERÃO GERADOS EM GARANHUNS COM A INSTALAÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS


O município de Garanhuns vai receber 12 novas empresas e a Escola de Gastronomia do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Os empreendimentos, de segmentos variados, irão movimentar a economia a médio e longo prazo gerando, de imediato, cerca de 500 empregos. Desses, 57% diretos e 43% indiretos. O Governo Municipal está subsidiando a instalação para a chegada das empresas, doando terrenos para as construções, que devem iniciar em janeiro de 2015.

A entrega dos certificados de reconhecimento de mérito por geração de emprego foi realizada na manhã desta quinta-feira (18), no gabinete do Palácio Celso Galvão. A empresária Rosenete Barbosa, da Geração Viva Fardamentos, é uma das empreendedoras. “Atualmente, trabalhamos com mais de 50 funcionários há 20 anos. Nossa expectativa é dobrar, em 2015, a quantidade de funcionários. Eu retribuo ao prefeito Izaías esse carinho. Eu vi, nesse momento, um homem voltado a Garanhuns e não aos seus interesses pessoais, desenvolvendo Garanhuns”, discursou.

De acordo com um relatório da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), que avalia o crescimento do município com a chegada dos empreendimentos, em sua fase de operação, o número de empregos gerados deve ampliar ainda mais, podendo chegar a 680 empregos. “Os números mostram que esse desenvolvimento vai garantir maior acesso à renda da população, além da melhoria da infraestrutura local”, destaca o secretário da pasta, Geandré Nogueira.

O call center Oásis Promotora tem 14 anos de existência e está na lista dos empreendimentos. Seu representante, Aureliano Pinto Neto, também aproveitou a cerimônia de hoje e falou da satisfação de estar chegando ao município. “Uma simples atitude do prefeito pode gerar quase mil empregos, no futuro. O processo foi muito tranquilo para chegar aqui. É encantador a austeridade do município que não nos cobrou nada. Quando eu comento isso em outros municípios, a outros empresários, eles ficam até espantados”, pontuou.

Entre os segmentos, podem ser citados metalurgia, construção civil, vestuário, confecção, alimentos, manufatura de bicicleta e indústria de fabricação de sofá. Dos 13 empreendimentos, 10 ficarão instalados no bairro Dom Hélder Câmara (Cohab III), uma no bairro São José e outra na Cohab II. Já a Escola de Gastronomia do Senac será instalada no terreno anexo ao prédio do próprio Senac, localizado no bairro Heliópolis.

Confira, abaixo, a listagem com o nome das empresas e seu respectivo segmento:

Indústria de Papéis Brasileiro LTDA - Fabricação de papéis
Kaduna Mineração e Indústria LTDA - Britamento de pedras 
Garanhuns Moto Peças LTDA-ME - Comércio e varejo de peças e acessórios para motocicletas e motonetas 
Melo e Melo Comércio e Representações LTDA - Comércio atacadista de leite e laticínios (Centro de Distribuição)
Ducacau - Comércio atacadista de produtos alimentícios em geral (Fábrica de bolo de rolo)
R.B. de Barros Confecções ME - Confecção de roupas profissionais
Rocha e Barreto LTDA - Comércio atacadista de alimentos para animais
Justinovar - Instalação e manutenção elétrica 
Distribuidora Dias Ouro Preto LTDA-EPP - Comércio atacadista de produtos alimentícios em geral 
Senac Pernambuco - Escola de Gastronomia do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac)
APM do Couto Soares LTDA-ME - Metalurgia 
Sesa Engenharia LTDA - Metalurgia 
(Secom/PMG)

FUNDADO O INSTITUTO ARQUEOLÓGICO, HISTÓRICO E AMBIENTAL DE PETROLINA


No último dia  05 de dezembro,  foi  fundado o Instituto Arqueológico, Histórico e Ambiental de Petrolina (IAHAP), braço do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano (IAHGP), uma instituição cultural, sem fins lucrativos, dedicada a conservar o patrimônio histórico, estudar e divulgar a história de Pernambuco e fundado em 28 de janeiro de 1862.

Durante a ocasião, presidida pelo arquiteto e membro do IAHGP, Cosme Cavalcanti, foram entregues os diplomas dos 40 membros fundadores, figuras notáveis da cidade, e ainda uma palestra com o arquiteto José Luís da Mota Menezes, conselheiro federal do Conselho de Arquitetura e Urbanismo, presidente do IAHGP, referência em restauração e preservação do Patrimônio Arquitetônico e Histórico estadual, tendo recentemente o trabalho de restauração do Palácio do Campo das Princesas, sede do Governo de Pernambuco.

Com a instalação definitiva da sede do IAHAP em Petrolina, que acontecerá em meados de fevereiro de 2015, os 40 membros do Instituto serão responsáveis pela atuação em favor da cidade com 10 metas já propostas, são elas:

1. Cadastrar os Sítios Arqueológicos e históricos da região do sertão do São Francisco.

2. Estimular a instalação imediata do arquivo público de Petrolina.

3. Criar um Plano Editorial para nossos historiadores.

4. Valorizar nosso patrimônio histórico, ambiental e humano.

5. Opinar sobre intervenções nos bens patrimoniais.

6.  Intercâmbios cultural e captações de recursos para restaurações, revitalizações e preservações.

7. Ter um colegiado de intelectuais e técnicos na região.

8. Fazer renascer o “Grupo Excursionista” criado na década de 60 pelo prefeito Dr. Luís Augusto Fernandes.

9. Interagir com as universidades.

10. Desenvolver a cultura plena como forma de nivelamento superior do desenvolvimento regional.

 “Seremos vigilantes atentos e até provocadores, à nossa memória, patrimônio histórico edificado, patrimônio arqueológico e ambiental da nossa região. Nossa expectativa é que através das orientações do IAHG-PE possamos alcançar objetivos sonhados elevando ainda mais todas as possibilidades da Petrolina dos impossíveis, possíveis aqui!”, afirma Cosme Cavalcanti.

Para o presidente do IAHAP, José Luís da Mota Menezes, que durante sua palestra trouxe a história urbana de Petrolina em apontamentos importantes para o patrimônio da cidade. “Numa cidade nós devemos reconhecer o cidadão e a existência de um gestor e é preciso que a linguagem deste último atinja o morador que é de diversos tempos e momentos. O mais importante é que o gestor passe a fazer uma análise para que todos tenham a qualidade de vida que se deseja numa cidade como Petrolina, que foi conquistada pela água do rio São Francisco”, ressalta Menezes.

LIRINHA RECITA POETA CHICO PEDROSA NO CLISERTÃO 2014

Trecho da apresentação e recital do cantor Lirinha, durante o II Congresso Internacional do Livro, Leitura e Literatura no Sertão - Clisertão 2014.

           

CONTRATOS DA CONSTRUTORA ODEBRECHT NA MIRA DA POLÍCIA FEDERAL


A Odebrecht, maior empreiteira do País, com faturamento de R$ 97 bilhões, pode se tornar alvo de uma investigação própria da Polícia Federal, no âmbito da Operação Lava Jato.

De acordo com reportagem do jornalista Rubens Valente,  "o delegado da Polícia Federal Eduardo Mauat da Silva, que integra a Operação Lava Jato, cobrou da Petrobras que informe todos os negócios que fechou desde 2005 com as empresas do grupo Odebrecht."

Nas investigações da Lava Jato, descobriu-se que a maior de todas as propinas – os US$ 23 milhões recebidos por Paulo Roberto Costa, que serão devolvidos – foram pagos pela Odebrecht, na Suíça.

No entanto, embora tenha sido alvo de um pedido de busca e apreensão, a construtora de Marcelo Odebrecht não recebeu, até agora, nenhuma punição do juiz Sergio Moro ou dos promotores que integram a força-tarefa da Lava Jato – o que causou estranheza nos meios políticos e econômicos.

Com a revelação do pedido feito pelo delegado Eduardo Mauat da Silva, a sinalização é de que a Odebrecht pode estar sendo alvo de uma investigação paralela. "O delegado pediu que a Petrobras informasse datas, valores e formas de pagamentos dos contratos e nominasse os 'responsáveis pela aprovação e liberação de cada uma das referidas operações financeiras'. O prazo acabou em meados novembro, sem que a estatal apresentasse nenhuma resposta", informa o jornalista Rubens Valente.

Em resposta, a Petrobras informou que irá colaborar com a PF. "A Petrobras mantém sua postura de efetiva colaboração com as autoridades públicas que estão conduzindo as investigações no âmbito da Operação Lava Jato."
Portal 247

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

PALEOGEOGRAFIA DE GARANHUNS

Professor João de Deus de Oliveira Dias - 1954  

Esqueleto de Megatherium Cuvieri Lund

Os fósseis existentes nos cálcaros antigos, disse Luiz Flores de Morais Rêgo, a natureza do arenito, a uniformidade da sedimentação e a sua extensão sugerem, fortemente, origem marinha para a citada série. A origem do calcáreo moderno é fácil de imaginar devido a dissolução dos calcáreos antigos e a precipitação dos carbonatos em clima que comportava fases semi-áridas. Para que se gerassem espessuras relativamente grandes dos calcáreos modernos, indispensável foi que se tivessem estabelecido lagos mais ou menos extensos, fenômeno causado com semelhança pelos abatimentos havidos na época  pliocênica.

Mastodonte - Mastodon Humbolditti Cuvier

A fauna fóssil de vertebrados superiores, mamíferos e desdentados, encontrados nas lagoas ou em caldeirões, caracteriza em pernambuco o Quatenário mais antigo - o Pleistocênio.

Os jazigos das ossadas, conforme Morais Rêgo, são depósitos de espessura reduzida que assentam sôbre o calcáreo da Série Bambuí, em suas cavidades. A fauna compara-se, perfeitamente, à do Andar Pampeano do Quarternário Argentino.

Ossada de Mastodonte da Serra do Tará da Fazenda "Pau Ferro".

Peter Wilhelm Lund chegou, identicamente, à conclusão de que a fauna das cavernas de Lagoa Santa corresponde, também, à do Pampeano Superior.

Na faixa proterozoica algonquiana de Pernambuco, nas fossas tetônicas (caldeirões), ocorrem sedimentos de argila pleistocênica, nos quais se encontram em decomposição restos de esqueletos de vertebrados de grande porte, como os Megatérios, Mastodontes, Toxodontes, etc.

Professor João de Deus de Oliveira Dias
Estas depressões ou pequenas bacias, também chamadas cacimbas, foram justamente com as lagoas os únicos bebedouros  da região sertaneja, durante a estação sêca, nas longas e periódicas estiagens do passado, nas quais os referidos animais pré-históricos, indo em busca do precioso  líquido se atolaram no limo e pereceram de sêde.

Em Garanhuns, no distrito dos Caetés, na Serra do Tará, na Fazenda "Pau Ferro" de Luiz Noronha Branco, foi encontrada pelo mesmo, numa destas depressões nos lagedos, uma ossada fóssil de vertebrado antediluviano, provalvemente do gênero Mastodon.

Semelhantes espécimes, cujos esqueletos foram encontrados à superfície, migraram à procura da água, desde os primórdios da Éra Quarternária, provável época da ruptura da formidável represa de arenito, constituida pelas serras de Tacaratú, Negra e várias outras fragmentadas e erodidas, que formavam a formidável bacia hidráulica do extenso mar mediterrâneo brasileiro, que deu origem ao rio São Francisco, segundo hipótese de Emmanuel Liais.

Suas ossadas encontram-se esparsas em tôda esta vasta faixa descrita, que se estende a Chapada do Araripe até as serras Tacaratú, Negra, do Comunati, do Buique, etc.

Na planície de Icó (jatobá), ao lado dos restos dêstes vertebrados gigantes, também são encontrados pedaços de troncos de árvores descomunais, silicificadas e carbonizadas.

Em Jatobá, na margem do São Francisco, existem depósitos de lignito (lenhito), em delgados folhedos.

Na Serra Negra, em Floresta do Navio, encontram-se, ainda, no cimo da serra, a mil metros de altitude, remanescentes destas árvores seculares, em mata luxuriante.

No calcáreo da Chapada do Araripe, existem com mais frequência fósseis de peixes ganoides (pequenos tubarões), ancestrais dos atuais seláquios, os quais infestavam aquelas regiões pelágicas, submarinas, e que pela sua voracidade, quase domínaram a fauna ictiológica local.

A ocorrência dos fósseis de vertebrados superiores, em Garanhuns, tem sido em pequenos caldeirões, nos lagedos, ou em terrenos sedimentares, argilosos ou limosos, de pequenas bacias (cacimbas, barreiros), do Período Pleistocênio, caracterizado pelas espécies Megatherium cuvieri Lund, Cuvieronius brasiliensis Lund, Panochthus oliveira-roxo Castellanos, Toxodon expansidens Agassiz, Mastodon humboldtii Cuvier, etc.

Os restos de mamíferos extintos, diz Luciano Jacques de Morais, têm aparecido em diversos lugares do Estado e são encontrados, frequentemente, ao proceder-se a excavação de tanques, denominação dada aos poços destinados ao armazenamento dágua. Êstes poços são abertos, tanto nos pontos altos como elevados da superfície, mas quase sempre em cadeirões ou fossas entulhadas por depósitos de aluvião.

Os ossos dêsses animais também costumam aparecer na estação sêca nos fundos das lagoas e nos vales.

Jonh Casper Branner encontrou restos de mamíferos quaternários nos lugares Lagoa da Lágea, Lageiro e Lagoa Cavada, entre Águas Belas e Garanhuns. Na lagoa da Lágea, Branner colheu, segundo Luciano Jacques, dois pedaços de presas, diversas vértebras e vários dentes partidos de Mastodon, a mandíbula e dentes de outra espécie de vertebrados gigantescos.

Os restos da ossada encontrada no caldeirão da Serra do Tará, da Fazenda "Pau Ferro" de Lula Branco, em Garanhuns, a julgar pelo achado de Branner e pela descrição dos ossos, devem pertencer, provavelmente, à espécie Mastodon humboldtii Cuvier.

Nas barreiras  cretáceas da Serra dos Garanhuns, a não ser algumas resinas fósseis (âmbar), encontradas por Ruber van der Linder, na Amélia, ainda não foram descobertos fósseis de animais ou vegetais.

Não tendo, ainda sendo constatada a exigência de calcáreo cretáceo que deve existir em áreas restritas, não se poude verificar a ocorrência de peixe das espécies: Lepidotus temnurus Agassiz e Lepidotus piaahyensis Roxo e Lofgren, muito comuns naquêle período.
(Fonte da Pesquisa: Livro "A Terra dos Garanhuns", do Professor  João de Deus de Oliveira Dias - ano de 1954). 

Obs. FOI MANTIDA A GRAFIA DA ÉPOCA.

ALUNA DA REDE MUNICIPAL DE GARANHUNS ESCREVEU LIVRO DE POEMAS

A Escola Municipal Professor José Brasileiro Vila Nova realizou, na manhã de ontem (16), a divulgação e entrega de alguns exemplares do livro “Na Minha Escola tem História, Poemas e Sonhos”. O livro é de autoria da aluna do 5º ano “C”, Bruna Letícia, de 11 anos de idade, e é composto por 12 poemas que retratam temas como folclore, carnaval, trânsito, entre outros. A Secretaria de Educação e Esportes recebeu um dos exemplares.

Ao longo do ano, diferentes textos foram trabalhados com os alunos, mas os de Bruna ganharam destaque. Percebendo o talento da aluna com as poesias, a professora Taciane Tenório, procurou a coordenação da escola e deu a ideia de criar um livro com todos os textos criados pela estudante. “Bruna gosta muito de ler e de escrever e, com apenas 11 anos de idade, apresenta uma facilidade e criatividade muito grande para produzir textos poéticos. Ao notar isso, nós resolvemos valorizar esse talento e produzir alguns exemplares do livro,” frisa a coordenadora da Escola Professor José Brasileiro Vila Nova, Geciane Ferreira.

Além da Secretaria de Educação, o livro foi apresentado na escola e entregue a alguns alunos e professores da Unidade Acadêmica de Garanhuns da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UAG/UFRPE), que fazem parte do Programa Institucional de Bolsa e Iniciação à Docência (Pibid), atuantes na instituição. Confira, abaixo, um dos poemas criados por Bruna Letícia:




O Trânsito

O trânsito é vida, mas

Também é morte, muitas

Pessoas não tiveram a

Minha sorte, de estar aqui

Vivendo feliz.

Muitas lágrimas caíram pelas

Faces, estou cumprindo a minha

Parte.

Um trânsito seguro para muitos,

Isso é duro.

Motos, ônibus e caminhão, já

Partiram o coração.

Dor, lágrimas e feridas, por favor,

Cuidem de suas vidas.
 (Secom/PMG)

II GRANDE SHOW NATALINO DE REPENTE