sábado, 18 de abril de 2015

MONS. JOSÉ DE ANCHIETA CALLOU 3º DIRETOR DO COLÉGIO DIOCESANO DE GARANHUNS.


O Mons. José de Anchieta Callou, nasceu na  Fazenda "Trincheira",  município de Salgueiro-PE, em 7 de janeiro de 1893.

Mons. José de Anchieta Callou.
Mons. José de Anchieta Callou foi o 3º diretor (1928/1936). Trazia já a experiência, pois fora diretor do Ginásio de Triunfo. Quatro meses após, sofre o Gymnásio o rude golpe da morte de D. Moura. Mons Callou soube, porém, enfrentá-lo. Em 1929, conseguiu bancas examinadoras, municipalizando o Gymnásio. Até então, os alunos concluintes iam, ao Recife, prestar exames.

Vista aérea das proximidades do Colégio Diocesano no século passado.
Antiga Praça da Bandeira, Avenida Dantas Barreto, Praça Dom Moura,
 Mosteiro de São Bento e a Estação Ferroviária e sua rotunda.

Em 1930, conseguiu equiparação permanente, oficializando, portanto, a vida do Gymnásio. Adquiriu material suficiente para o laboratório. Fundou grêmios culturais. Conseguiu, no último ano de sua direção, verificação prévia para o Curso Comercial. Pôde ver, ao deixar o Gymnásio, seis turmas concluírem o curso ginasial no próprio colégio.

Faleceu em Recife, no Hospital Português, na tarde invernosa de 12 de julho de 1968. O seu corpo foi transladado para Garanhuns, onde foi sepultado na Catedral de Santo Antonio.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

CANÇÃO ADOMINGADA - NÁDIA MAIA

                     

Brancas asas, sabiás, pretos assuns
Se enternecem sobre o céu de Garanhuns... 

FEMUARTE - Festival de Música e Arte de Garanhuns
CANÇÃO ADOMINGADA - CLASSIFICADO FINAL 2008
Autor: XICO BIZERRA / BETO HORTA
Intérprete: NÁDIA MAIA
Cidade: JABOATÃO DOS GURARAPES - PE

ESCOLAS DA REDE MUNICIPAL RECEBEM ACERVO LITERÁRIO EM GARANHUNS.


Foi realizado, na manhã de hoje (17), na Escola Municipal Professor Antônio Gonçalves Dias – Caic, a entrega de um acervo literário infantil. A iniciativa faz parte das ações do I Festival de Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns (Filig), realizado em outubro de 2014, e comemora também o Dia Nacional do Livro Infantil, celebrado amanhã (18).

Ao todo, serão entregues 58 estantes com cerca de 45 livros, cada. Serão 33 salas de leitura das escolas municipais, escolas de Educação Infantil e creches, além da Biblioteca Municipal Luís Brasil, Biblioteca Comunitária Ler é Preciso, Biblioteca Indústria do Conhecimento, Biblioteca Comunitária Casa da Gente e a Biblioteca do Sesc. A entrega também é um convite para o evento deste ano.

A secretária de Educação, Janecélia Marins, esteve presente na ocasião e destacou o trabalho da Secretaria nos projetos de leitura. “O Governo Municipal comprou a nossa ideia nos projetos de leitura, entendendo que as nossas ações geram cultura e cidadania. Conseguimos, assim, investir em momentos que se perpetuarão na vida dos nossos alunos”, enfatiza a titular da pasta. A analista de projetos da Proa Cultural, realizadora do evento, Lara Holanda, também fez parte da ação no Caic.

A entrega dos kits encerra as ações do Filig. Os livros são doados junto com uma estante de madeira, em formato de coruja – símbolo do festival -. O evento é realizado pela Proa Cultural, através da Lei Rouanet, com o patrocínio de Ferreira Costa e apoio do Governo Municipal, por meio da Secretaria de Educação e Esportes.
(Fonte: Secom/PMG)

INSTITUTO HISTÓRICO DE GARANHUNS REALIZA EXPOSIÇÃO DO MOBILIÁRIO DO EX-PREFEITO DR. CELSO GALVÃO E DONA SYLVIA MIRANDA GALVÃO.

Sylvia Miranda Galvão.

Por Anchieta Gueiros

A Sra. Sylvia Miranda Galvão nasceu  no município de Santos (SP), no dia 27 de novembro de 1909, filha de Creso de Almeida Miranda e de Elisa Gomes de Miranda. Seu pai foi gerente do Banco do Brasil, em Santos e do Banco Comércio e Industrial de São Paulo. 

Iniciou seus estudos no Colégio José Bonifácio na cidade de Santos,  Colégios Santa Cecília e Francês "Descliseaux" em São Paulo. Estudou música, dedicando-se ao piano  em São Paulo.


Em 1934, dois anos após o falecimento de seu genitor, sua família passou a residir no Rio de Janeiro, tendo seis anos depois, indo  fixar residência em Belo Horizonte, onde recebendo convite passou a administrar a sessão de modas da Loja "A Guanabara", uma das maiores casas comerciais da capital mineira.

Dona Sylvia Galvão também escreveu o
Livro "Delícias da Cozinha de Sylvia".

No ano de 1945, precisamente em 19 de agosto, foi apresentada ao Dr. Celso Galvão, por ocasião de um almoço na residência de um amigo, o advogado Carlos Maurício da Rocha, iniciando-se daí em diante um relacionamento que terminou com o enlace matrimonial em 1946, casando no civil e sendo o ato religioso celebrado em Maceió pelo Arcebispo D. Ranulfo em  11 de abril do mesmo ano. No dia seguinte, 12 de abril, veio para se fixar em companhia do esposo em Garanhuns, não saindo jamais, mesmo depois do falecimento do esposo.


Em 1951, o Dr. Celso Galvão foi eleito Prefeito de Garanhuns e dona Sylvia Galvão, na condição de primeira dama do município foi nomeada pela esposa do Governador Agamenon Magalhães, Sra. Antonieta Magalhães para a LBA ( Legião Brasileira de Assistência). No mesmo período o cargo de Tesoureira da Cantina Hermíria Tenório, filial da Companhia Pernambucana Pró Infância, que prestava assistência a mais de duzentas crianças, com o fornecimento de alimentação, roupas, ajuda financeira, além de comemorações festivas, notadamente no dia da criança e pelo natal, dando assistência médica e até, em determinadas ocasiões, sepultamento. A referida entidade funcionava em instalações das Mercedárias, tendo Dona Sylvia Galvão, que durante 15 anos prestou serviços à mencionada entidade.


Nos idos de 1951, Oneida Barros,  esposa do Sr. Cyro Costa à convidou para lecionar piano, tornando-se daí em diante, professora desse instrumento há longo tempo, tendo ensinado há duas gerações. Em 1984, completou 33 anos de trabalhos de aulas de piano. Foi organista da Catedral de Garanhuns, iniciando suas atividades na época em que o Mons. José de Anchieta Callou era o Vigário Geral da Diocese.  Participou também das missas   na Matriz do Heliópolis e no Mosteiro de São Bento. Ensinou piano também no Colégio XV de Novembro durante 21 anos. 

Durante 50 anos exerceu atividades de costureira, tendo na medida de suas possibilidades dado todo conforto as seu esposo, o Dr. Celso Galvão, nos seus últimos anos de vida. Pois, com a insignificante renda de 1.200,00 cruzeiros não se podia viver, sendo obrigada a trabalhar para ajudar na manutenção da casa.

Depois que o Dr. Celso Galvão morreu sua aposentadoria lhe rendia mensalmente 3.000,00 mil cruzeiros, porém a pensão que Dona Sylvia Galvão recebeu, foi a íntima quantia de 1.000,00 cruzeiros mensais. Como sempre trabalhou, continuou se mantendo sem precisar de auxílio de ninguém. Dona Sylvia Galvão faleceu em 1993.

DR. CELSO GALVÃO:

Garanhuense, nascido em 17 de abril de 1889, no número 215 da Avenida Santo Antônio, procedente de família política cujo pai foi sub-prefeito do município. Sua profissão era odontólogo, formado no Rio de Janeiro.
Dr. Celso Galvão.
O Dr. Celso Galvão foi um dos políticos de maior destaque em nossa região, conseguindo um fato inédito na época, sendo prefeito de Caruaru por duas vezes (1922/1925 e 1936/1937), e por duas vezes também prefeito de Garanhuns (1937/1945 e 1951/1955).

A primeira administração por nomeação do então Interventor Federal Agamenon Magalhães e a segunda pelo voto direto.

Em Caruaru, também disputou apenas uma eleição, era filiado à Liga Cívica Caruaruense, em Garanhuns, representou a Aliança Democrática de Garanhuns, integrada pelo PTB, UDN e dissidência do PSD.

Administrador carismático, fez excelentes administrações nos períodos sendo responsável pela construção do atual prédio da prefeitura que hoje leva o nome de "Palácio Celso Galvão". Calçou inúmeras ruas da cidade, fez galerias e, através de convênios com o Estado, construiu o Hospital Dom Moura e a Escola Henrique Dias. O Parque Ruber van der Linden, foi construído com terreno adquirido  da Diocese de Garanhuns, durante seu governo. Faleceu em 1 de fevereiro de 1975.

Obs. O Instituto Histórico, Geográfico e Cultural de Garanhuns (IHGCG), está localizado na Praça Dom João Tavares de Moura, 44 - Centro de Garanhuns.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

SEBASTIÃO DO ROJÃO - ALÔ ALÔ GARANHUNS.

                      



REVISTA VEJA DEMITE 40.


A crise da mídia impressa chegou à revista Veja, que, nesta quinta-feira, anunciou um processo de reestruturação que deve cortar 40 empregos.

Tradicionalmente poupada nos cortes feitos pela Abril, desta vez Veja não escapou do 'passaralho', nome dado nas redações aos processos de demissão em massa.

Estão sendo encerrados os suplementos Veja BH e Veja Brasília. Em São Paulo, onde funciona o centro de decisão da publicação mais politicamente engajada do País, sempre alinhada ao PSDB, estão sendo cortadas as vagas de editores com maiores salários e mais tempo de casa.

O 'passaralho' de Veja se insere no processo de derrocada da mídia impressa, em tempos de universalização da internet, das redes sociais e de equipamentos como tablets e smartphones.

Na última semana, o Estado de S. Paulo anunciou 120 demissões (suspensas pelo Tribunal Regional do Trabalho) e a Folha promoveu 50 demissões.
(Fonte: Portal 247)