sábado, 13 de fevereiro de 2016

ESPETÁCULO JESUS ALEGRIA DOS HOMENS TERÁ MAIS UMA VEZ O APOIO DA PREFEITURA DE GARANHUNS













Por Ezandra Ribeiro 

O Prefeito Izaías Régis recebeu na manhã de ontem (12), Jefson Fitipaldi e Gerson Lima, integrantes da direção do espetáculo Jesus Alegria dos Homens, para conversar sobre a edição deste ano. A encenação da Paixão de Cristo acontece há mais de 25 anos no Alto do Magano. O objetivo da reunião foi conversar sobre a parceria com o Governo Municipal.

Segundo Jefson Fitipaldi, a parceria com a Prefeitura de Garanhuns é de extrema importância. “Essa parceria é fundamental para que o espetáculo aconteça, pois garante 50% do orçamento. Sem o apoio da prefeitura não conseguiríamos viabilizar o evento”, enfatizou Fitipaldi.

De acordo com Izaías Régis o evento que se consolida cada vez mais, conta com grandes profissionais de nossa cidade. “A Paixão de Cristo de Garanhuns já faz parte do calendário das paixões e sem dúvida é uma tradição do nosso município que a cada ano atrai um público cada vez maior”, disse Régis.

Este ano o espetáculo acontece de 23 a 26 de março, com encenação sempre das 19h30 às 21h. A expectativa dos organizadores é que cerca de 20 mil pessoas assistam ao espetáculo durante a temporada.
Fonte: Ascom/PMG.

Baú da História de Garanhuns: Em 1836 são novamente anexados à região de Garanhuns, Inajá, Buique, Pedra, Sertania e parte de Canhotinho.

Pensamento do dia: A verdadeira virtude não é triste nem antipática, mas amavelmente alegre. São Josemaría Escrivá.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

TIPOS POPULARES DE GARANHUNS - ZÉ PITANGA

Por Rodrigues da Silva


Não tinha mais de um metro e cinquenta centímetros de altura. Era moreno e engraçado. Nasceu para ser militar, porém, como não conseguiu ingressar nessa profissão, passou a vida inteira usando roupas e boné de soldado, conduzia inseparavelmente, um apito de guarda noturno.
Assim vivia Zé Pitanga procurando os locais mais movimentados desta cidade, para desempenhar o papel de autoridade que nunca foi, porque o destino lhe negou esse direito. Desajeitado como ninguém, Pitanga, pelas proezas que fazia, foi sempre motivo de gargalhada para as pessoas que dele se cercavam.

Nas horas vagas vendia amendoim na plataforma da estação ferroviária e conduzia as maletas dos passageiros que chegavam ou saíam nos trens. Certa vez, um desocupado deu-lhe um empurrão, derrubando o tabuleiro de amendoim ao solo. Para mostrar que era autoridade, o pobre homem correu atrás do desordeiro, e, em alta voz gritava:

- Respeite seu superior, moleque safado, saiba que aqui em Garanhuns, quem manda sou eu, porque sou homem até morrer.

Zé Pitanga vivia nas esquinas e ruas de Garanhuns, sempre fardado, e quando os automóveis passavam, como se fosse inspetor de veículos ele apitava e gesticulava com as mãos mandando parar, ou, dando passagem. Outras vezes ficava na posição de sentido, como se na sua frente estivesse uma autoridade superior. De vez em quando, ouvia-se o "militar" dando voz de comando:

- Meia volta, alto lá soldados, pelotão à direita, sentido!...

O militar de mentira percorria a cidade todos os dias, dando ordens às "tropas" que somente existiam na sua imaginação.

Na mesma época de Zé Pitanga vivia em Garanhuns, uma outra figura engraçada que atendia pelo apelido de Bacharel.

Este, também, tinha mania de soldado e há quem diga, que ele fez parte da Coluna Louca que saiu de Garanhuns com destino a Maceió, sob a chefia do Senhor Mário Lira, com a finalidade de se encontrar com o Tenente Juarez Távora, um dos líderes da Intentona Comunista, movimento militar que pretendia mudar o regime do Brasil. Há quem diga, também que Bacharel foi simplesmente um modesto empregado do Hotel Motta.

Um certo dia, Zé Pitanga e Bacharel se desentenderam, tendo o primeiro perguntado ao segundo:

- Quem lhe deu ordem para andar neste bairro, você não sabe que quem manda aqui sou eu?

Bacharel olhou para Pitanga e mostrando-lhe uma estrela desenhada no ombro com tinta vermelha, respondeu-lhe:

- Respeite seu superior moleque, eu não sei onde estou que não lhe mando pra cadeia. Veja que eu sou do exército e você é da meganha.

Os moleques de rua viviam constantemente insultando Zé Pitanga; um dava um empurrão, outro puxava o paletó, todos gritavam de uma só vez:

Zé Pitanga catimbozeiro do arraial!

Estes insultos fizeram o pobre diabo dizer, certa vez:

... no dia em que eu morrer, o comércio de Garanhuns vai ser fechado.

Dito e feito. Zé Pitanga faleceu no mesmo dia em que ocorreu a morte de Agamenon Magalhães. Naquele dia, o Comércio do Recife fechou as suas portas em sinal de luto pela morte do Governador. O Comércio de Garanhuns também foi fechado pelo mesmo motivo, e, por coincidência pelo falecimento de Zé Pitanga. Zé teve uma vida cheia de autoridade, porém viveu e morreu sem se aperceber que foi apenas um carregador de fretes.
Fonte: Jornal "O Monitor".

AEDES AEGYPTI TRANSMITE DOENÇA QUE PODE CAUSAR EMBOLIA PULMONAR E MORTE EM CÃES




Apesar do senso comum, os alvos do mosquito Aedes aegypti não são apenas as pessoas, mas também seres felpudos e de quatro patas. A dirofilariose canina é uma doença que tem entre seus vetores o mosquito transmissor da dengue, do zika vírus e do chikungunya. E a consequência é uma embolia pulmonar que pode levar à morte. 

O veterinário André Luís Soares da Fonseca, professor na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), explica que "o Aedes aegypti prefere sangue humano, mas também ataca cães" – momento em que o parasita dilofilaria immitis entra no corpo do animal e passa a se desenvolver em seu coração, podendo atingir até 20 centímetros de comprimento.

“É um verme que fica em forma de novelo. O animal infectado chega a abrigar no coração dez larvas ou até mais”, alerta Rodrigo Monteiro, professor do curso de Medicina Veterinária na Universidade Anhanguera. “O parasita se alimenta dos componentes do sangue, nutrientes e proteínas do animal."

A partir do momento em que o Aedes aegypti contaminado com a dirofilária pica o cão, o verme é transmitido para o animal, caindo na corrente sanguínea e indo direto ao coração, onde instantaneamente começa a causar danos.

Inicialmente de uma dimensão minúscula, capaz de passar pela tromba do mosquito, o verme se desenvolve rapidamente e, em três anos, chega a seu auge, com 20 centímetros, momento em que passa a causar maior estrago ao organismo. Cansaço, dificuldade para se exercitar, tosse e edema pulmonar são alguns dos sintomas.

O tratamento, diz Monteiro, é de alto risco, já que o medicamento atualmente disponível mata o verme, mas, por se hospedar nas artérias do coração e até do pulmão, se fragmenta e pode entupir algum capilar do órgão respiratório, causando a embolia pulmonar e levando à morte. Sem ele, no entanto, o animal está fadado a morrer, pois o verme continua a crescer e se desenvolver dentro do coração.

“Mas os animais dificilmente morrem por infarto, porque o coração canino consegue se irrigar de forma mais eficaz do que o humano quando alguma artéria está obstruída", ressalta o especialista. "Só que a embolia é ainda mais grave do que o infarto."

Apesar de o primeiro vetor da doença ser o mosquito culex, um pernilongo comum, a alta densidade do Aedes no País aumenta o risco de transmissão pela espécie.

Proteger o cão é a melhor maneira de evitar a doença

Monteiro explica que há um medicamento vermífugo que pode ser oferecido mensalmente aos cães que vivem em áreas endêmicas da dirofilariose, mas que ele só vale como método preventivo, quando a infecção pela larva ainda é recente.

“Se o cão for picado pelo mosquito infectado, assim que essa larva cair no sangue, automaticamente ele vai morrer”, conta Ribeiro. Ele enfatiza que o medicamento, receitado por médicos-veterinários, é seguro e que há cães tomando-o mensalmente há mais de dez anos, sem registro de efeitos colaterais.

Outra forma de prevenir, segundo Fonseca, da UFMS, é passar um inseticida canino nos pelos dos cães, cuja eficácia contra o Aedes aegypti é de 98%, com durabilidade da proteção de 30 dias.

A incidência da dirofilariose canina varia de região a região. O litoral norte de São Paulo, o interior do Estado e o Nordeste do País, por exemplo, são algumas áreas com maior número de casos em território nacional.

Eliminar criadouros do Aedes aegypti é a forma ideal de impedir que o mosquito nasça e cause danos aos animais e humanos.
Fonte: Portal IG.

Baú da História de Garanhuns: Em 1836 é desmembrada da Comarca de Brejo da Madre de Deus, é criada a Comarca de Garanhuns, de acordo com a Lei Provincial nº 00022.

Pensamento do dia: Quando eu quero pedir alguma coisa para alguém, peço às pessoas mais ocupadas, pois as desocupadas nunca têm tempo. Padre Alderígi Maria Torriani.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

"DIA NACIONAL DE ESCLARECIMENTO" ACONTECE SÁBADO (13) EM GARANHUNS











Por Ruthe Santana


Aproximadamente 240 militares do 71° Batalhão de Infantaria Motorizado (71° BIMtz), divididos em seis pelotões, estarão participando, no próximo sábado (13), de uma ação conjunta com a Prefeitura de Garanhuns, por meio da Secretaria de Saúde, em prol do combate ao Aedes aegypti. Órgãos de segurança pública também foram convidados a participar das atividades. A mobilização, intitulada “Dia Nacional de Esclarecimento”, tem o objetivo de aprofundar o nível de conscientização da população quanto à gravidade da proliferação do mosquito.

Além disso, a ação tem a proposta de levar ao conhecimento das pessoas o grau de responsabilidade que cada cidadão possui, quando o assunto é combater o transmissor da dengue, febre chikungunya e do Zika vírus. Durante a mobilização, os profissionais de saúde, junto aos militares disponibilizados pelo Exército Brasileiro, estarão percorrendo os bairros de Garanhuns que possuem maior incidência de infestação predial. Nessa etapa, serão distribuídos, em cada casa visitada, materiais informativos sobre as medidas de prevenção e combate ao Aedes aeghypti. Ao mesmo tempo, os profissionais estarão abordando os moradores da área e repassando orientações sobre a importância de todos colaborarem com a campanha.

O secretário de Saúde de Garanhuns considera a campanha um grande incentivo ao combate do mosquito no município por parte de todos os cidadãos. “Saber que estaremos junto ao Exército nessa campanha é, sem dúvida, de grande importância para potencializar essa luta em nosso município. Pela quantidade de profissionais que participarão dessa mobilização, tenho certeza que conseguiremos conquistar um grande envolvimento dos garanhuenses nessa causa, e isso é fundamental para o êxito de todo esforço e empenho de quem estará nas ruas nesse dia. Se todos colaborarem com a proposta, manteremos a nossa cidade segura para todos”, ressaltou Alfredo de Góis.
Fonte: Secom/PMG

MOSQUITO TRANSGÊNICO AVANÇA NO BRASIL



Por Rodrigo Pinto


O uso de mosquitos transgênicos pode mudar a forma como o Brasil vem combatendo o Aedes aegypti. Mas, apesar das taxas de sucesso alardeadas por autoridades e pela empresa que inventou o novo inseto, o mosquito OX513A, como foi batizado, é polêmico.

Produzida pela empresa britânica Oxitec, a variação genética do Aedes aegypti poderá ser o primeiro inseto do tipo a ser comercializado no mundo, mais provavelmente, no Brasil, onde vem encontrando seu mais amplo campo de testes.

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou testes em 2011 e uso comercial em 2014, mas a falta de um parecer da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) trava a entrada do mosquito em um mercado que poderá representar milhões em receita para a Oxitec.

Um porta-voz da Anvisa disse à BBC Brasil que a agência já informou que "a empresa não poderá comercializar o produto até que conclua essa discussão sobre o enquadramento do mosquito transgênico (em uma categoria que possa ser fiscalizada de acordo com atribuições da agência)".

Diante do limbo regulatório, a Oxitec reparte com a prefeitura de Piracicaba os custos dos testes feitos com o mosquito em um bairro da cidade paulista. Piracicaba poderá se tornar a primeira cidade no país a receber a espécie em larga escala. A prefeitura decidiu ampliar os testes, liberando o OX513A também no centro da cidade, onde vivem 60 mil pessoas -- contra 5,5 mil no bairro onde o inseto vinha sendo testado anteriormente.

Conflito

Segundo a prefeitura e a Oxitec, o Aedes aegypti modificado geneticamente tem apresentado altas taxas de performance nos testes, supostamente reduzindo em muito a ocorrência de dengue, mas os resultados são alvos de críticas por parte da comunidade científica que demonstra preocupação com a ampliação dos experimentos.

Esta semana, ativistas e cientistas de Piracicaba levaram à promotora de Justiça de Direitos Humanos e Saúde Pública na cidade, Maria Christina Marton Corrêa Seifarth de Freitas, representação em que, além de voltar a questionar o uso do mosquito, pedem acesso a dados oficiais e detalhados sobre os testes realizados no projeto da Prefeitura batizado de Aedes aegypti do Bem.
Fonte:  BBC Brasil em Londres

LEI SECA REDUZIU ACIDENTES, MAS É PRECISO PENSAR EM ALTERNATIVAS AO CARRO



A aplicação da Lei Seca (Lei 11.705/2008) tem ajudado a diminuir o número de acidentes no trânsito. Dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostram ligeira redução no número de acidentes ocorridos por influência do álcool, após a lei ter estabelecido tolerância zero e aumentado o valor da multa para quem for flagrado embriagado ao volante, em 2012. Naquele ano, foram registrados 7.594 acidentes; no ano seguinte, 7.526; e, em 2014, 7.391.

Dados do Ministério da Saúde, divulgados em dezembro de 2015, também mostram redução no número de mortes em acidentes de trânsito. Em 2013, foram registradas 42.266 mortes e, em 2014, 40.294  – uma redução de 5%.

Apesar da redução no número de acidentes, o país está muito distante da média mundial de 8,3 mortes por grupo de 100 mil habitantes. Atualmente, o Brasil atingiu a taxa de 19,9 mortos por grupo de 100 mil habitantes - o menor índice desde 2010, mas ainda distante da meta do Plano Nacional de Redução de Acidentes, de 2011, de reduzir em pelo menos 50% o número de mortes no trânsito até 2020.

“O Brasil tem feito muito pouco ou quase nada. Não existe uma estratégia com vista a atingir essa meta. Existem ações mais ou menos isoladas e que estão focadas em tornar a legislação mais rigorosa em alguns aspectos: excesso de velocidade, consumo de álcool. Isso tem sido objeto de algum rigor no código de trânsito e ações de fiscalização. Mais do que isso, a gente não vê”, critica o professor da Universidade de Brasília (UnB) e especialista em trânsito Paulo Cesar Marques da Silva.

Para ele, ações de fiscalização, intensificadas durante períodos festivos como o carnaval, e campanhas educativas são mecanismos importantes, mas o país precisa avançar em ações integradas e em estratégias que diminuam a dependência do carro. Ele avalia que Poder Público deve liderar um debate sobre mobilidade urbana e investir no transporte público para evitar a dobradinha álcool e direção.

“Essa ação de proporcionar a mobilidade sem a necessidade de usar o automóvel facilita porque as pessoas podem se divertir sem ter a necessidade de usar o álcool. Tudo isso funcionando direitinho, a gente tem, lá na ponta, a redução do número de acidentes”, afirmou.

Segundo o professor, não se trata de demonizar o carro particular, mas de promover estímulo ao carro, ao transporte público e à segurança no trânsito. “Ninguém compra o carro para ficar parado. Mas existe a possibilidade de as pessoas comprarem o carro para usar no final de semana, de não precisarem depender do carro o tempo todo”, defende.

Mais rigor

Desde 2012 algumas alterações na lei aumentaram o rigor das punições e proporcionaram maior eficácia à fiscalização, prevendo novas formas de produção de provas, como fotos, vídeos e testemunhas, além do aumento no valor da multa que passou para R$ 1.915,30 - em caso de flagrante de embriaguez.

No Distrito Federal, a maior rigidez tem se refletido nos números. Em janeiro deste ano, o Departamento de Trânsito (Detran-DF) autuou 813 condutores por alcoolemia. No mesmo mês do ano passado, foram 1.110.

Especialista em trânsito, Paulo Cesar Marques da Silva disse que as operações de fiscalização tem chegado a locais com maior consumo de bebida alcoólica. “Em geral, o que tem havido é uma operação com mais inteligência a partir do estudo do comportamento e das áreas onde as pessoas usam mais álcool, horários de abordagem e que, no final das contas, é mais efetivo para evitar acidentes. Temos que lembrar que o objetivo maior não é punir, mas evitar que as pessoas causem ou se envolvam em acidentes”, disse o professor.

Efeitos do álcool

A psiquiatra e pesquisadora do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa) Carolina Hanna Chaim alerta que pessoas sob o efeito de álcool apresentam dificuldades de percepção, coordenação motora e concentração, o que resulta em uma redução drástica na capacidade de dirigir. “As pessoas têm que ter consciência da gravidade desse comportamento. Muitas vezes, isso passa um pouco pela convivência coletiva, como se não fosse um hábito tão perigoso, mas é perigosíssimo porque você coloca em risco a sua vida e a de pessoas que não têm nenhuma relação com isso”, alertou.

Carolina observa ainda que o uso de álcool geralmente é associado a outras condutas perigosas ao volante como ultrapassar o limite de velocidade da via, não utilizar o cinto de segurança, dirigir cansado, sob o efeito substâncias psicoativas e, inclusive, o uso de celular. “A Lei Seca ajuda, ela foi uma iniciativa positiva, pois ajuda a conscientizar da gravidade e até coibir as pessoas que não teriam essa conscientização a partir de iniciativa própria, mas a lei, sozinha, não muda [a forma de agir das pessoas]”, afirma.

Para aumentar o nível de conscientização da população, a especialista aposta em ações focadas nos futuros condutores. “Com conteúdo mais interativo e que possa acessar esses jovens que no futuro serão os motoristas. Precisamos construir uma nova geração de motoristas mais conscientes.”
Fonte: Agência Brasil.

Baú da História de Garanhuns: Em 1833 Garanhuns passa a integrar a Comarca de Brejo da Madre de Deus.

Pensamento do dia: Nós que trabalhamos com os doentes não devemos ter inveja de ninguém, pois Deus nos confia a melhor parte da caridade. São Camilo de Lellis.

sábado, 6 de fevereiro de 2016

DILMA SANCIONA ALTERAÇÕES DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

A presidenta Dilma Rousseff sancionou ontem (5) a Lei 13.256/2016, que faz alterações pontuais no texto original do novo Código de Processo Civil (CPC). O código foi sancionado no ano passado e entrará em vigor no dia 16 de março. Com o novo texto, os juízes não serão obrigados a seguir ordem cronológica de julgamento de ações cíveis. As mudanças foram feitas pelo Congresso após críticas de magistrados e parlamentares.

O texto original, sancionado no ano passado, previa que os juízes deveriam obedecer à ordem cronológica para proferir sentenças. Com a alteração, os magistrados devem dar preferência à ordem de entrada.

Outra mudança aprovada com o novo texto é a análise prévia, pelos tribunais estaduais, de recursos submetidos aos tribunais superiores, como o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo Tribunal Federal (STF). Se a medida fosse mantida, o STJ receberia o dobro de recursos que recebe atualmente, sem dispor de estrutura para receber a carga de processos.

De acordo com a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), o fim da obrigatoriedade de julgamentos conforme a ordem cronológica é um dos avanços do novo CPC. Para a entidade, a medida confere alternativas para que o juiz possa administrar as ações que recebe.

A AMB considerou retrocesso o veto ao artigo que previa julgamentos virtuais para agilizar os processos nos casos em que a lei não admite sustentação oral. Segundo o desembargador Marcos Alaor Grangeia, membro da comissão que participou da elaboração do código, o modelo eletrônico de julgamento não fere as prerrogativas dos advogados.

"Temos toda uma estrutura de PJE [processo judicial eletrônico] e de processos digitais. A era é da modernidade. O dispositivo possibilitaria que houvesse uma celeridade muito maior”, afirmou o magistrado.

O Novo CPC substitui a norma antiga, sancionada em 1973. Em 2010, uma comissão de juristas foi criada para discutir e formular o anteprojeto do novo código. A comissão realizou 100 audiências públicas e recebeu cerca de 80 mil emails, além de contribuições da acadêmicos e de juristas.
Fonte: Agência Brasil.

Baú da História de Garanhuns: Em 21 de setembro de 1820 é instalado o telefone na Estação de GWBR. Livro "Pingos de Garanhuns" de Arlinda Mota Valença.

Pensamento do dia: É longa a estrada dos preceitos; a dos exemplos é breve e mais segura. Sêneca.